Nokia eleje Suri como novo CEO e prioriza unidade de redes

EmpresasNegóciosRedes

Hoje é um dia de grande e positiva reestruturação para a Nokia. A empresa esta manhã comunicou ganhos trimestrais que superaram os valores estimados e acolhe Rajeev Suri como o novo diretor executivo, depois de na passada sexta-feira ter vendido à Microsoft o seu outrora dominante segmento de telemóveis. A tecnológica finlandesa anunciou ainda que

Hoje é um dia de grande e positiva reestruturação para a Nokia. A empresa esta manhã comunicou ganhos trimestrais que superaram os valores estimados e acolhe Rajeev Suri como o novo diretor executivo, depois de na passada sexta-feira ter vendido à Microsoft o seu outrora dominante segmento de telemóveis.

Nokia Suri

A tecnológica finlandesa anunciou ainda que pretende devolver 3,1 mil milhões de dólares aos seus acionistas, recorrendo a reaquisições e a dividendos extraordinários. Esta jogada é visto por muitos analista como uma tentativa para conservar os investidores à medida que ajusta o rumo do seu negócio.

Não é, certamente, surpreendente que Suri tenha assumido o cargo de chefia da Nokia, tendo em conta que foi um ator crucial na recuperação do segmento de redes, tornando-o lucrativo mediante o corte de várias despesas da empresa.

A divisão de networks foi uma das três unidades que se manteve com a Nokia, depois da finlandesa ter vendido o seu ramo de telemóveis à Microsoft por cerca de 5,6 mil milhões de dólares, num acordo finalizado na passada sexta-feira.

A Nokia avançou que pretendia centralizar as suas forças no desenvolvimento da sua unidade de redes, bem como nos seus negócios de patentes e de navegação. Contudo, a empresa não comunicou mais pormenores acerca de como tenciona fazê-lo.

Apesar dos resultados positivos e de estar determinada em redirecionar o seu negócio, Mikael Rautanen, analista na Inderes, asseverou que a Nokia parece não ter uma estratégia definidamente concreta e que espera que, no futuro, as unidades passem a funcionar de forma mais independente.

Em 2013, o segmento de redes representou 90 por cento das vendas da tecnológica.

A Nokia comprometeu-se a levar a cabo mais severas investidas para conseguir aumentar a sua quota no mercado global.

Atendendo a todas as dificuldades que a empresa enfrentará no setor tecnológico, nomeadamente no ramo das telecomunicações, Suri, o recém eleito CEO da Nokia, assegurou que existe ainda muito terreno por explorar e muito espaço para crescer.

Suri integra a família Nokia desde 1995, e, em 2012, conseguiu reanimar o seu segmento de redes.

Risto Siilasmaa, presidente da Nokia, afirmou que Suri é, com efeito, a pessoa ideal para fazer crescer a empresa. “Ele provou ser capaz de criar claridade estratégica, de fomentar a inovação e o crescimento, de assegurar a execução disciplinada e de produzir resultados”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor