Netflix arrepende-se de expansão para a Austrália

Negócios

O mais popular serviço de streaming de vídeo anunciou, em janeiro, a intenção de estender o seu serviço a 200 países e já mostrou alguns sinais de estar cumprir o plano. A disponibilização do Netflix na Austrália foi um dos primeiros passos mas a empresa revela, agora, estar arrependida dessa decisão. Durante os próximos dois

O mais popular serviço de streaming de vídeo anunciou, em janeiro, a intenção de estender o seu serviço a 200 países e já mostrou alguns sinais de estar cumprir o plano. A disponibilização do Netflix na Austrália foi um dos primeiros passos mas a empresa revela, agora, estar arrependida dessa decisão.

Netflix

Durante os próximos dois anos, o Netflix deverá chegar a 200 países, incluindo Portugal. No entanto, os consumidores mais ávidos deste tipo de conteúdos podem estar à beira de receber más notícias, depois da implementação do serviço na Austrália não ter corrido como esperado.

Apesar do número de subscrições ter ultrapassado os valores esperados, o Netflix admitiu estar arrependido graças à forma como os negócios foram realizados. Os acordos firmados com as operadoras Optus e iiNet não correspondem aos padrões exigidos pelo Netflix que se apresenta como um dos maiores defensores na neutralidade na rede.

De acordo com a empresa, estas duas operadoras australianas estarão a oferecer pacotes de utilização ilimitada dos serviços de streaming do Netflix. Este tipo de ofertas são disponibilizadas, geralmente, por preços mais elevados o que não promove um ambiente de igualdade no acesso à internet e aos seus conteúdos.

O Netflix afirma que não deveria ter assinado estar parcerias e que evitará acordos deste género no futuro. Esta decisão poderá afetar a plano de implementação do serviço em alguns dos países a que se propõe chegar e, por isso, também os resultados financeiros da empresa.

Graças também aos acordos com a Optus e a iiNet, o Netflix conseguiu angariar 4,88 milhões de subscritores, até ao final de março, número que agradou aos investidores, preocupados com os sinais de abrandamento, no último ano. Globalmente, e incluindo utilizadores que estão apenas a testar o serviço, já são mais de 62 milhões os subscritores.

Os resultados do primeiro trimestre revelam que o Netflix atingiu 23,7 milhões de dólares de lucro, valor significativamente inferior relativamente ao mesmo período do ano anterior.

Ainda assim, o serviço de streaming de vídeo do Netflix continua a ser o mais popular, um pouco por todo o mundo, facto que deve-se, em parte, à disponibilização de conteúdos próprios francamente aclamados pelo público. House of Cards, Orange is the New Black ou Derek são alguns exemplos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor