Negócio europeu da Vodafone deixa de ter CEO

EmpresasGestãoNegóciosOperadoresRedes

A Vodafone disse hoje que o diretor das suas operações europeias vai abandonar o cargo ainda este ano. O anúncio é feito numa altura em que se espera uma cisão do negócio da operadora no continente.

Philipp Humm prepara-se para deixar a direção executiva do núcleo europeu da Vodafone, que está a procurar firmar um acordo com a congénere norte-americana Liberty Global. As conversações para uma troca de ativos foram já confirmadas, embora tenha sido negado que se esteja a negociar uma fusão das duas empresas no mercado europeu.

Os responsáveis pelas operações da Vodafone na Alemanha (Hannes Ametsreiter), na Itália (Aldo Bisio), no Reino Unido (Jeroen Hoencamp) e em Espanha (António Coimbra), sob os termos desta reestruturação organizacional, passam a fazer parte de uma comissão executiva que responderá diretamente ao diretor-geral do grupo, Vittorio Colao. Esta medida torna-se efetiva no próximo dia um de outubro e pretende gerir o negócio europeu da Vodafone, na ausência de Humm.

Rob Shuter, líder das operações da Vodafone Holanda, que também fará parte da comissão, acumulará funções de gestor dos mercados europeus de menores dimensões.

O CEO da empresa-matriz acredita que estas mudanças simplificam e agilizam a gestão dos grandes mercados europeus da Vodafone, potenciando o desenvolvimento de negócios noutras geografias.

Philipp Humm deverá deixar a empresa no final de 2015, para que possa continuar a sua carreira de CEO fora da Vodafone, de acordo com informações avançadas pelo Mobile World Live.

Colao reconhece o papel crucial que Humm teve na recuperação do negócio europeu da operadora, estratégia que passou pela aquisição de três operadoras do continente: a espanhola Ono, a alemã Kabel Deutschland e a britânica Cable & Wireless.

“O compromisso e estratégia da Vodafone em Portugal são de longo prazo e não estão dependem de uma pessoa”, disse a operadora à B!T, acrescentando que a reconfiguração corporativa da secção europeia da Vodafone não deverá ter qualquer impacto no negócio da sua subsidiária portuguesa.

A Vodafone Portugal referiu que está grata a Humm pelo trabalho que fez em prol da empresa enquanto CEO para a Europa e afirmou estar confiante de que Shuter dará continuidade ao legado do antecessor.

“Gostaríamos ainda, como portugueses e pelo papel relevante que desempenhou na Vodafone Portugal, de nos congratularmos com a passagem de António Coimbra a membro de pleno direito da Comissão Executiva do Grupo Vodafone”, comentou a empresa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor