Negócio de cinema da Alibaba espera investimento de mais de mil milhões

Mobilidade

A Alibaba Pictures, a unidade cinematográfica da gigante chinesa do e-commerce, revelou que planeia angariar cerca de 1,6 mil milhões de dólares numa venda de ações a um grupo de investidores privados. O capital deverá financiar aquisições na área dos media, fortalecendo a presença da empresa no mercado. Embora não tenham ainda sido apontados potenciais

A Alibaba Pictures, a unidade cinematográfica da gigante chinesa do e-commerce, revelou que planeia angariar cerca de 1,6 mil milhões de dólares numa venda de ações a um grupo de investidores privados. O capital deverá financiar aquisições na área dos media, fortalecendo a presença da empresa no mercado.

Alibaba

Embora não tenham ainda sido apontados potenciais alvos de aquisição, a Alibaba Pictures parece estar a posicionar-se para tomar de assalto a indústria cinematográfica da China. Diz o Financial Times que, só este, ano o valor das ações da empresa já subiu 160 por cento, incremento que pode ser um reflexo de um anúncio feito em abril, segundo o qual a Alibaba estaria a considerar investir na sua unidade de produção de filmes, e que, inclusivamente, poderia integrar o seu negócio de bilhética nas operações da subsidiária.

A Alibaba Pictures planeia, então, vender 4,2 mil milhões de títulos a 37 cêntimos cada, totalizando 1,57 mil milhões de dólares. O valor proposto reflete um decréscimo de 20 por cento face ao preço das ações aquando do fecho das negociações de segunda-feira na Bolsa de Hong Kong.

Anteriormente sob o nome ChinaVision Media Group, a Alibaba Pictures conseguiu deitar a mão a cerca de 807 milhões de dólares em 2014, fruto da compra de 60 por cento do seu capital disperso em Bolsa que colocou o leme nas mãos da Alibaba.

Apesar de ter já firmados acordos com algumas emissoras televisivas na China, a Alibaba Pictures não chegou ainda a produzir nada. O presidente e fundador da Alibaba, Jack Ma, parece querer conquistar um quinhão da esfera chinesa da Sétima Arte. Em maio, foi noticiado que a Netflix estava a preparar-se para entrar no mercado da China, e que estaria já em negociações com alguns potenciais parceiros, designadamente com a Wasu Media, uma empresa que tem Ma como acionista.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor