MWC | Óculos de realidade virtual da HTC serão mais caros que Oculus Rift

InovaçãoMobilidade
0 0 Sem Comentários

O aparelho de realidade virtual que a HTC e a Valve apresentaram no ano passado em Barcelona, Vive, vai chegar às lojas em abril e custará cerca de 800 euros, um preço superior ao do Oculus Rift – que nos 599 dólares já é considerado caro.

As novidades, reveladas no pré-arranque do Mobile World Congress, incluem o início da pré-reserva do dispositivo, 29 de fevereiro. A má notícia para os consumidores nacionais interessados é que Portugal não faz parte do lote de 24 países onde o HTC Vive vai chegar dentro de dois meses, apesar de a vizinha Espanha estar incluída.

Na fase de lançamento, quem comprar os óculos de realidade virtual vai receber dois jogos gratuitos, “Job Simulator: The 2050 Archives” e “Fantastic Contraption.” O Vive também vem com dois controladores e duas estações de base para a experiência de 360º com sensores de movimento, o que pode ajudar a explicar o preço mais elevado (e circularam rumores de que chegaria aos mil dólares). A HTC e a Valve dizem que este é um pacote completo, ao contrário da concorrência.

O aparelho liga-se ao PC através de um cabo, mas também irá integrar funções de telefone para que o utilizador possa atender chamadas, ler mensagens de texto e consultar o calendário sem retirar os óculos ou parar a emissão/jogo. Estarão suportados, para já, apenas Android e iOS. O bundle também inclui SteamVR.

Os requisitos mínimos de sistema para usar com o Vive são uma placa gráfica Nvidia GeForce GTX 970 ou AMD Radeon R9 290. Os países onde o Vive estará disponível em abril são Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Alemanha, França, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Itália, Holanda, Noruega, Polónia, Espanha, Suíça, Irlanda, Suécia, Taiwan, China, Japão, Austrália e Nova Zelândia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor