MWC | Huawei P10: um Pantone de opções

MobilidadeSmartphones

Verde, azul a juntar ao rosa, dourado, prateado e preto. A Huawei aposta na cor para potenciar o seu novo Huawei P10 e P10 Plus, apresentado hoje em Barcelona. As cores são, no mínimo, cativantes. No mínimo.

* em Barcelona

A Huawei já tentou de tudo. Já nos tentou inspirar, já mudou a forma como vemos o mundo e, agora, quer mudar a forma como o mundo nos vê. Uma provável alusão ao brand awareness que a marca tanto procura e que tem vindo, paulatinamente, a conquistar. Claro que com uma “ajudinha” de marcas como a Leica ou a Porsche que “cedem” o nome e prestigio ao fabricante chinês para garantir o acesso a mercados de topo e potenciação da marca.

E apesar de basicamente o mundo já conhecer o P10 – há meses que os influentes bloggers e plataformas de comunicação começaram a desvendar o equipamento -, ainda assim a marca conseguiu surpreender todos os presentes que hoje, em Barcelona, assistiram ao evento que precede a abertura do Mobile World Congress 2017.

Uma panóplia de cores

E surpreendeu desde logo pelas cores. Em parceria com a Pantone, a Huawei lançou duas cores a juntar às opções que têm vindo a acompanhar a marca e que vão desde o Rosa Gold ao Mysthic Silver, passando pelo Prestige Gold ou Graphite Black. Assim, a estas cores juntaram-se o que apelidam de “Greenery”, um verde, digamos, natureza, e o “Dazzling Blue”, que vamos criativamente traduzir por estonteante azul. Um anúncio que claramente criou impacto na sala.

Antes de avançarmos com as especificações técnicas, vamos já matar a curiosidade: a partir de março os equipamentos já deverão estar disponíveis em Portugal e vão ter dois modelos: P10 (5.1 polegadas) e P10 Plus (5.5 polegadas). Os preços para Portugal não estão ainda confirmados mas como apontamento ficam os valores que serão praticados em termos internacionais. O P10 64 Gb com 4 Gb de memória vai custar 649 euros enquanto o P10 Plus com as mesmas características vai para os 699 euros. O P10 Plus de 128 Gb e 6Gb de memória vai custar 799 euros.

Uma vez mais Richard Yu, CEO do Huawei Consumer Business Group, subiu a palco para explicar quais os pontos fortes que a marca enfatiza neste novo flagship. Para além da tecnologia que envolve o equipamento, o primeiro destaque vai para o glamour do produto. Lá está, o tal brand awareness que a marca tanto precisa para ultrapassar o facto de ser a terceira marca mais vendida do mundo. O CEO falou em um novo estio de vida cosmopolita à qual a marca quer estar associada e, claro, a aposta continuada na qualidade da máquina fotográfica através da parceria com a Leica, que agora assume também o “controlo” da câmara frontal.

Leica continua a ser aposta

O equipamento “básico” volta a ter uma câmara dupla Leica 2.0 (12MP RGB frontal + 20MP traseira) e câmara dupla Leica 2.0 Pro Edition para o Huawei P10 Plus (abertura F/1.8), agora com deteção facial 3D, realces de retrato, efeito bokeh natural e Huawei Hybrid Zoom. E, como já referimos, a primeira câmara frontal Leica com um novo sensor e maior abertura para selfies.

O processador dos dois equipamentos é o Kirin 960, contém uma memória Huawei Ultra e o novo EMUI 5.1 com o sistema de antena 4×4 LTE MIMO e o sistema de antena 2×2 Wi-Fi MIMO, tendo Richard Yu enfatizado ainda em Barcelona o algoritmo melhorado que aprende como os utilizadores à medida que usam os seus smartphones.

A empresa garante que o processador oferece um melhor desempenho multicore, assim como o processador gráfico possui uma melhoria de 180 por cento no desempenho e um aumento de 40 por cento na eficiência de energia.

As baterias são de 3.200 mAh (P10) e 3.750 mAh (P10 Plus) e  suportam a tecnologia Huawei SuperCharge (5V / 4.5A).

O design

O novo Huawei P1 é apresentado como o primeiro com acabamento Hyper Diamond-Cut, disponíveis nas cores “Dazzling Blue” e “Dazzling Gold”. Já os Greenery, Rose Gold, Mystic Silver, Graphite Black e Prestige Gold estarão disponíveis com acabamentos de “Sandblast”, e branco cerâmica.

Ambos os equipamentos possuem a proteção Corning Gorilla 5 Glass e arestas optimizadas, tendo, no entanto, a versão Plus um ecrã de 2k .

O sensor de impressões digitais passa para a frente do dispositivo e sob o ecrã. O sensor de impressão digital incorpora ainda uma navegação optimizada dos comandos, aumentando a área útil de visualização do ecrã.

Já dissemos que a cor azul e verde são,  vamos dizer, cativantes? São.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor