Mobilidade não chega ainda a todas as organizações

Mobilidade

Um estudo da IDC revela que o correio eletrónico é das aplicações móveis mais adotadas pelas organizações nacionais de grandes e médias dimensões. A crescente mobilidade dos negócios e dos colaboradores leva as organizações a apostarem cada vez mais em soluções de gestão de dispositivos móveis e em iniciativas BYOD. Contudo, há ainda um longo caminho

Um estudo da IDC revela que o correio eletrónico é das aplicações móveis mais adotadas pelas organizações nacionais de grandes e médias dimensões. A crescente mobilidade dos negócios e dos colaboradores leva as organizações a apostarem cada vez mais em soluções de gestão de dispositivos móveis e em iniciativas BYOD. Contudo, há ainda um longo caminho a percorrer.

Mobile impressão

A mobilidade tem uma expressão cada vez maior no seio das organizações nacionais. Perto de um terço das empresas inquiridas pela IDC já adotaram políticas que permitem mobilizar as suas equipas de vendas. Por outro lado, 37 por cento das organizações já disponibiliza aplicações móveis para os clientes. Contudo, o correio eletrónico é a aplicação móvel mais utilizada no âmbito das empresas, 92 por cento delas a afirmar que já implementaram este género de solução.

Apesar do crescendo da utilização de dispositivos móveis, só 25 por cento das organizações a nível nacional estão munidas de políticas de gestão de dispositivos móveis e 17 por cento já colocou em marcha planos de gestão de aplicações móveis. Também somente um quinto das empresas já adotou políticas de BYOD (Bring Your Own Device), permitindo que os seus colaboradores utilizem os seus próprios dispositivos móveis no local de trabalho para fins profissionais.

Poucas também são as organizações (29 por cento) que implementaram soluções de segurança móvel empresarial, face aos 35 por cento que efetivamente estão dotadas de uma estratégia de segurança móvel.

A manutenção de diferentes plataformas, a arquitetura e segurança das aplicações, o desenvolvimento para diversos formatos e a volatilidade tecnológica são as principais razões pelas quais as organizações não abraçam a mobilidade empresarial. Também a qualificação e literacia digital e tecnológica dos colaboradores levam as empresas a não optarem por estratégias de mobilidade dos negócios, das suas equipas e das informações sobre as quais assentam.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor