Moscovo pondera adiar projeto de lei de dados pessoais

Segurança

A Rússia mostrou disponibilidade para avaliar as preocupações das empresas de Internet relativamente ao cumprimento do prazo para se enquadrarem na lei que as obrigada a mudar os dados pessoais de cidadãos russos para servidores dentro do país, disse um porta-voz do Kremlin citado pela agência Reuters.

Após uma lei aprovada no ano passado, os sites que alojam dados pessoais de cidadãos russos devem manter estas informações em servidores instalados no próprio país, já a partir de setembro.

Moscovo disse que a lei pretende proteger dados pessoais, mas os mais críticos apontam essa medida como um ataque às redes sociais.

O jornal Kommersant publicou ontem que a Associação de Empresas Europeias (AEB, na sigla em inglês) pediu ao presidente russo, Vladimir Putin, para adiar em um ano o prazo a partir do qual as empresas serão responsabilizadas se não cumprirem a determinação da lei até setembro.

Um porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, confirmou que uma proposta foi feita para adiar o prazo e que Putin determinou uma avaliação para determinar se as empresas deveriam ter mais tempo para cumprir a lei. A AEB recusou a comentar o assunto.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor