A mobilidade nas férias deixa-nos deitar uma olhadela rápida ao negócio…

Negócios

José Correia, diretor-geral da HP, considera fundamental que consigamos afastar-nos do dia-a-dia profissional para que o descanso desejado realmente aconteça. “Felizmente, conto com uma equipa de direção, com delegação de poderes para tomar decisões do dia-a-dia na ausência de membros da comissão executiva, pelo que a minha necessidade de intervenção em período de férias faz-se

José Correia, diretor-geral da HP, considera fundamental que consigamos afastar-nos do dia-a-dia profissional para que o descanso desejado realmente aconteça. “Felizmente, conto com uma equipa de direção, com delegação de poderes para tomar decisões do dia-a-dia na ausência de membros da comissão executiva, pelo que a minha necessidade de intervenção em período de férias faz-se em situações excecionais”, disse o responsável à “B!T”.

josé correia hp

No entanto, admite que vai ao email uma vez por dia, ao início da manhã. “Para ir mantendo a ‘inbox’ controlada e perceber se há algum tema mais importante em discussão”, confessou-nos.

Quando a indicadores de negócio, José Correia tem acesso a uma atualização regular, duas vezes por semana.

Mas apenas dá uma “olhadela” ou atua sobre esses indicadores, mesmo estando de férias? Por norma, diz o diretor-geral, “o acompanhamento e ação faz-se sem necessidade da minha intervenção, por quem ficou com essa responsabilidade”. Até porque nesta altura do ano o mercado pode ficar mais brando, mas não para e, por isso, “temos de estar preparados para em qualquer momento e, de forma inesperada,  termos de tomar uma decisão imediata sobre algo que não pode esperar”.

E será que a mobilidade veio acabar com o conceito de férias do gestor? Na opinião de José Correia, veio dar mais liberdade, “na medida que estamos mais contactáveis e com acesso imediato à informação, em caso de necessidade. Isto permite que os períodos de ausência não tenham de ser planeados com tanta antecedência, nem que decisões importantes tenham de ser adiadas por ausência física do decisor”.

Habitualmente, o gestor faz um período de férias mais alargado no verão e várias pequenas pausas ao longo do ano.

Quando ao portátil, esse fica em casa. “Levo apenas o meu tablet HP Elitepad para responder a requisitos profissionais mais específicos, mas o acompanhamento diário faço-o no smartphone”.

Para além do smartphone e do tablet HP Elitepad, José Correia não dispensa de levar nas férias a sua máquina fotográfica, “pois a fotografia ocupa algum do meu tempo livre”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor