Ministério da Saúde toma medidas preventivas para limitar ataque informático de sexta-feira

EmpresasSegurança

Ainda em clima de instabilidade informática causada pelo software malicioso WannaCry, o Ministério da Saúde desactivou o email durante a tarde de sexta-feira e assim permanece ainda esta segunda-feira. De acordo com o jornal Público, a informação foi confirmada por uma porta voz do gabinete de comunicação dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) que sublinha que não foi registado ainda nenhum incidente. Os especialistas de cibersegurança afirmam que é expectável que o ataque se continue a propagar durante o dia de hoje, ainda mais em Portugal em que alguns serviços não funcionaram na sexta-feira devido à tolerância de ponto.

Também o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) emitiu um alerta à administração pública durante este fim-de-semana para que os serviços não abram e-mails de origem desconhecida para evitar o bloqueio de computadores, como aconteceu na passada sexta-feira. O ataque atingiu pelo menos 150 países e fez mais de 200 mil vítimas, segundo um balanço feito este domingo pela Europol.

Entretanto, o Serviço Nacional de Saúde emitiu hoje um comunicado sobre os cuidados que os profissionais do SNS devem ter, relativamente à ciberameaça do software  WannaCry.

Em declarações à TSF, Pedro Veiga, coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança, o organismo estatal ao qual compete gerir os sistemas de computadores do Estado, avançou que o número de falhas na administração pública é “limitadíssimo”. No entanto, garantiu que a administração pública portuguesa vai manter-se em alerta e que o processo está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Durante o fim de semana, vários peritos alertaram para a possibilidade de acontecer uma segunda vaga deste ciberataque de escala mundial. Até agora ainda não se sabe a origem do ataque informático.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor