Mind Source anuncia alterações nos negócios e tecnologia

EmpresasNegócios

A Mind Source, empresa especializada em consultoria de projetos de base tecnológica, realizou uma investigação sobre a Transformação de Negócio e Tecnologia entre 2014 e 2016 e disponibiliza agora os resultados. Este estudo apresenta as tendências para o setor das Tecnologias da Informação, reforçando o investimento na área digital, e revela as três prioridades das

A Mind Source, empresa especializada em consultoria de projetos de base tecnológica, realizou uma investigação sobre a Transformação de Negócio e Tecnologia entre 2014 e 2016 e disponibiliza agora os resultados.

João PaisEste estudo apresenta as tendências para o setor das Tecnologias da Informação, reforçando o investimento na área digital, e revela as três prioridades das organizações. Essas três prioridades passam por aumentar o crescimento do negócio, reduzir custos e melhorar o desempenho operacional.

O estudo indica ainda que os líderes vão assistir à convergência das tendências cloud, social, mobile e informação. A consultora defende através do seu estudo, “Business and Technology Transformation 2014-2016, que as empresas vão entrar numa era onde a chave para o sucesso não estará apenas na redução de custos. A tecnologia vai continuar a mudar a forma de gerir o negócio.

João Pais, Chief Technology Officer da Mind Source, refere que este é um documento “que permite aos principais decisores posicionarem as suas organizações para o crescimento, diminuição de custos e para a melhoria da eficiência operacional. Tendo por base as atuais e futuras tendências, a Mind Source vai fornecer um conjunto de  ideias práticas e metodologias que vão permitir transformar as suas organizações”.

O responsável acrescenta ainda que “a tecnologia por si só não acrescenta valor, pois o que acrescenta e cria valor é a combinação das pessoas, com uma estratégia clara, a tecnologia certa, uma boa qualidade dos dados e processos ágeis e otimizados”.

Uma das principais tendências verificadas está ligada ao aparecimento exponencial de aplicações/jogos que gerem experiência do utilizador, permitindo mudar comportamentos, desenvolver competências e estimular a inovação junto do público interno. O Gamification pode ajudar também as organizações a criar relações, a acelerar os ciclos de feedback, a introduzir novas regras e a implementar mudanças na empresa.

As empresas terão de adotar novos conceitos para gerir os grandes volumes de informação gerados. O Big data permitirá às organizações criar novos produtos e novos modelos de negócio, através da exploração inteligente dos dados para tomadas de decisão mais sustentadas. A Digitalization cria uma vantagem competitiva e alcança retornos mais elevados.

O Social media, enquanto novo canal de comunicação, permitirá às empresas desenvolver estratégias de envolvimento e colaboração com os clientes e o Mobile fará com que as empresas encarem as aplicações inovadoras e interativas como um novo canal para comunicar com os clientes, colaboradores e parceiros.

Já o Data Mining é uma ferramenta de análise de dados que permite revelar padrões úteis para a tomada de decisão.

O desafio da redução de custos passa pela gestão de ativos de software, onde o ideal será combinar as pessoas, a tecnologia e os processos para obter o máximo de eficácia e estar preparado para as auditorias. Isso vai permitir avaliar o desempenho e descobrir alternativas de software. As empresas vão precisar também de modernizar e otimizar as suas aplicações, garantir que esses investimentos tragam retorno à sua empresa e desenvolver um modelo que permita estimar e medir a produtividade.

O Design Thinking é outra das tendências verificadas, que proporcionará empatia com os públicos, a definição concreta dos problemas e procurar em conjunto as soluções mais criativas.

O estudo prevê uma mudança do foco das atividades, como resposta a uma maior preocupação com os benefícios de negócio gerados: mais receitas, manutenção de clientes, redução de custos e um time-to-market mais rápido.

Este estudo defende ainda que as empresas estarão mais atentas à gestão dos processos de BI, através da expansão e integração de novas funcionalidades, e à cloud. O seu dinamismo, flexibilidade, acesso e economia vão desafiar os negócios a entrar na cloud, a criar ambientes de TI mais ágeis e associá-los a outros conceitos como o mobile e o digitalization.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor