Microsoft anuncia expansão da segurança nos serviços cloud

CloudSegurança

A Microsoft anunciou várias novidades de segurança na sua oferta Azure, Office 365 e outros serviços na nuvem, em resultado de vários meses de reformulação da estratégia.

Este anúncio chega cerca de três meses depois de o CEO Satya Nadella ter sublinhado a necessidade de a empresa adotar uma nova abordagem relativamente à segurança dos clientes empresariais, com novos investimentos. O relatório foi assinado pelo CIO da Microsoft, Bret Arsenault, que indicou como principais intuitos dar aos clientes o poder de “acelerar a adoção de uma postura de segurança proteção, deteção e resposta.”

O executivo sublinhou que a Microsoft tem de gerir mais de um milhão de aparelhos empresariais em uso em todo mundo. “A minha equipa é muitas vezes o primeiro cliente das tecnologias da nossa empresa, e trabalhamos forte para assegurar que os produtos estão prontos para os clientes antes de irem para o mercado.”

Arsenault enumerou algumas das melhorias e novidades do ecossistema. Entre estas estão a disponibilização da Microsoft Cloud App Security, que vai chegar em abril deste ano, para aplicações SaaS como SalesForce e Office 365. É tudo baseado na tecnologia da Adallom,  uma empresa de segurança na nuvem que a gigante adquiriu em setembro.

O Office 365 passará a ter, por exemplo, alertas avançados de segurança para os administradores e permissões para as aplicações, que podem ser aprovadas e revogadas para terceiros.

São também introduzidas mais opções de gestão e reporte de segurança no Azure Security Center, com a configuração de políticas de segurança para cada subscrição; e há um novo dashboard Power BI, para visualizar, analisar e filtrar recomendações e alertas de segurança de qualquer parte, inclusive através de smartphones.

“À medida que os atacantes se tornam mais sofisticados, precisamos de desenvolver a nossa capacidade de conseguir conhecimento em tempo real e inteligência preditiva em toda a rede, para que possamos estar um passo à frente das ameaças”, escreveu Arsenault. “Temos de saber fazer a correlação entre os dados de segurança com as ameaças para separar o bom do mau.”

O executivo anunciou ainda o lançamento em preview público do Diretório Ativo de Proteção de Identidade Azure, sublinhando a sua precisão por se ser construída em cima da análise de 14 mil milhões de logins e 30 mil utilizadores potencialmente infetados por dia. Estará disponível esta semana.

Outra novidade é a Deteção Avançada de Ameaças do Azure Security Center e a expansão das parcerias dentro desta plataforma.

Mais será partilhado esta semana, durante a conferência anual de segurança da RSA.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor