Microsoft acusa Google de ler e-mails dos utilizadores

e-MarketingSegurança

A Microsoft voltou a atacar a Google relativamente ao seu serviço de correio eletrónico. A multinacional de tecnologia e informática acusa a rival norte-americana de invadir a privacidade dos utilizadores. A empresa responsável pelo Outlook voltou a dizer que a companhia multinacional de serviços online e software “lê” os emails dos seus utilizadores de modo

A Microsoft voltou a atacar a Google relativamente ao seu serviço de correio eletrónico. A multinacional de tecnologia e informática acusa a rival norte-americana de invadir a privacidade dos utilizadores.

ku-bigpicA empresa responsável pelo Outlook voltou a dizer que a companhia multinacional de serviços online e software “lê” os emails dos seus utilizadores de modo a conseguir gerar anúncios mais eficientes que são disponibilizados na caixa de entrada do Gmail.

Assim, a Microsoft reuniu os seus principais argumentos na página Keep Yout Email Private , que em português signidica “Mantenha o Seu Email Privado”, e defende que as mensagens de correio eletrónico só devem ser analisadas para bloquear spam, esquemas fraudulentos e malware.

A Microsoft afirma que a maior parte dos utilizadores de um serviço de e-mail são atingidos por este problema. A empresa acrescenta ainda que há fortes probabilidades de, mesmo quem não tem uma conta no Gmail, já ter enviado uma mensagem para alguém que utiliza esse serviço se correio eletrónico e ter sido lida pela Google.

Foi elaborada uma tabela de prós e de contras, assim como um estudo da consultora GfK. Este estudo foi realizado no Reino Unido e 84 por cento dos inquiridos desaprovam que as empresas dos serviços de e-mail leiam os conteúdos para direcionarem anúncios publicitários. Outros 84 por cento consideram que devia ser bloqueado às tecnológicas o acesso aos conteúdos para fins comerciais.

Ainda segundo este estudo, 83 por cento dos inquiridos consideram que estas estratégias são uma violação de privacidade. Outros 93 por cento afirmam que devia haver uma cláusula onde o utilizador possa definir se quer anúncios baseados nos conteúdos da sua caixa de correio eletrónico.

A Microsoft tinha já promovido a campanha Gmail Man, onde retratava o serviço de correio eletrónico da Google através de um carteiro bisbilhoteiro e que acedia à correspondência que transportava.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor