Metro de Londres faz greve e Uber aumenta os preços

EmpresasNegócios

A Uber inflacionou hoje as tarifas dos seus carros londrinos em cerca de 300 por cento. O serviço aproveitou a paralisação total do metropolitano da capital britânica para lucrar um pouco mais.

Há treze anos que o Metro de Londres não fazia greve, transportando diariamente cerca de três milhões de utentes. O encerramento de hoje deixou a cidade mergulhada num oceano de pessoas que procuram meios alternativos para se deslocarem.

É aqui que entra a Uber. Tirando partido da comoção que aflige a metrópole inglesa, o serviço digital de transportes fez disparar os preços das viagens nos seus carros. Sendo que a greve termina hoje à noite, é muito provável que a Uber consiga gerar lucro significativo.

O Diário Económico conta que extensas filas formam-se nas paragens dos autocarros e que existem inúmeras perturbações ao nível do funcionamento dos restantes meios de transporte.

Segundo consta, a Uber enviou hoje mensagens aos seus clientes regulares, incitando à utilização dos seus serviços. Os preços só deverão voltar ao normal depois da greve e quando a procura pelos carros da Uber for menor.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor