Mercosul quer garantir segurança contra a ciberespionagem

Segurança

Na reunião de ministros de Relações Exteriores de países-membros do bloco económico, o Mercado Comum do Sul criticou a “espionagem global” realizada pelos Estados Unidos a vários países e organizações. Representantes do Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela estiveram presentes da reunião realizada ontem na cidade de Caracas, onde reiteraram a necessidade de garantir a segurança

Na reunião de ministros de Relações Exteriores de países-membros do bloco económico, o Mercado Comum do Sul criticou a “espionagem global” realizada pelos Estados Unidos a vários países e organizações.

Digital visionRepresentantes do Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela estiveram presentes da reunião realizada ontem na cidade de Caracas, onde reiteraram a necessidade de garantir a segurança das telecomunicações na região, assim como combater ações que ameaçam a soberania.

Elías Jaúa, ministro de Relações Exteriores da Venezuela, explicou que os representantes do bloco falaram sobre as medidas que devem ser implementadas pelos governos para combater a ciberespionagem.

Segundo comunicado, o Ministério de Relações Exteriores da Venezuela destacou que os países-membros do Mercado Comum do Sul estão “conscientes de que as ações de espionagem dos Estados Unidos se acentuam, motivando uma dura crítica mundial”.

O texto acrescenta ainda que os ministros “comprometeram-se a formalizar a criação de uma instância permanente, dentro da estrutura do Mercosul, para prestar atenção a todos os temas derivados da segurança das telecomunicações na região e combater as ações que vulneram a soberania dos nossos países”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor