Mercados internacionais já são 51% das receitas publiciárias do Facebook

e-MarketingNegóciosRedes Sociais

A plataforma de publicidade comercial do Facebook gerou mais receitas nos mercados externos do que nos Estados Unidos, durante o primeiro trimestre deste ano. A empresa indica que exatamente 51% da totalidade das vendas globais de publicidade nos três primeiros meses do ano vieram de fora dos EUA, o maior mercado publicitário do mundo. O crescimento

A plataforma de publicidade comercial do Facebook gerou mais receitas nos mercados externos do que nos Estados Unidos, durante o primeiro trimestre deste ano.

facebook-unfollow

A empresa indica que exatamente 51% da totalidade das vendas globais de publicidade nos três primeiros meses do ano vieram de fora dos EUA, o maior mercado publicitário do mundo. O crescimento na Ásia foi observado como o mais rápido pela companhia, com 57% das receitas internacionais.

Durante apresentação de resultados trimestrais à imprensa dos EUA durante esta semana, os executivos apresentaram pela primeira vez detalhes percentuais divididos por região e com o crescimento da empresa em cada localidade. Esta foi também a primeira vez que as vendas de anúncios fora dos Estados Unidos e do Canadá foram superiores às geradas nestes dois mercados, que somam 49% de todas as receitas com a plataforma publicitária.

Assim como os anunciantes, a rede social começa a olhar com mais atenção para mercados internacionais, que podem ser ampliados em até 5 vezes nos próximos cinco anos, segundo estimativas da própria empresa.

“Os próximos mil milhões de consumidores virão de países na Ásia, Médio Oriente e África, fora do eixo Américas-Europa”, afirmou a vice-presidente global de soluções de marketing do Facebook, Carolyn Everson.

O total de receitas publicitárias no trimestre aumentou 46% em toda a operação e alcançou receitas de 3,3 mil milhões de dólares, ou seja, quase 90% dos 3,5 mil milhões faturados pelo Facebook no período.

Cerca de 1,7 mil milhões de dólares das receitas publicitárias (51 por cento do total) advieram dos mercados externos. Já os ganhos com publicidade no exterior subiram 36% numa comparação anual, conforme os dados da própria companhia. Enquanto a Europa cresce mais devagar a par dos Estados Unidos, a região da Ásia-Pacífico está à frente de todas as localidades continentais e deve ser o novo foco principal das ações de marketing da rede social.

*Amauri Vargas é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor