Mercado de tablets cai, mas Apple ainda domina

MobilidadeTablets
0 0 Sem Comentários

As vendas mundiais de tablets voltaram a cair no terceiro trimestre, de acordo com uma nova pesquisa da IDC. A queda foi de 14,7%, totalizando 43 milhões de unidades.

Apesar disso, a comparação sequencial entre o segundo e terceiro trimestres é positiva, com um aumento de 9,8% em preparação já da época natalícia. A Apple continua líder do segmento com o iPad, e apesar de ter recuado 6,2% em vendas, até aumentou a quota de mercado para 21,5%.

Um ponto interessante da pesquisa é o sucesso dos tablets low-cost, em especial os “detachables” – modelos que se podem conectar e desconectar a um teclado. Os modelos abaixo de US$ 200 atingiram mesmo um recorde de vendas.

“Infelizmente, muitos fabricantes de detachables de baixo custo também entregam uma experiência low-cost”, diz o analista sénior Jitesh Ubrani. “A corrida para o fundo é algo que já tínhamos experimentado com os slates e pode ser prejudicial para o mercado no longo prazo, visto que os detachables podem facilmente ser vistos como dispositivos descartáveis em vez de substitutos para o PC”, complementa.

Por outro lado, o diretor de pesquisa Jean Philippe Bouchard sublinha que estamos a testemunhar “movimentos tectónicos” no mercado, com os tablets slate de baixo custo servindo para uma estratégia de plataforma. É o que a Amazon está a fazer com a assistente digital Alexa nos tablets Fire, com bons resultados: as suas vendas dispararam 319,9% no trimestre.

Bouchard diz ainda que os tablets com ferramentas de produtividade mais próximas da verdadeira computação e que são legítimos substitutos do portátil deverão manter os preços médios na indústria em curva ascendente.

Mais uma vez ausente do grupo de maiores fabricantes de tablets está a Microsoft, apesar do sucesso percepcionado da sua linha Surface. A tabela da IDC indica que a marca vendeu menos de 2,4 milhões de unidades no trimestre, fasquia alcançada pela Huawei na quinta posição.

Top 5 

1º. Apple – 21,5%

2º. Samsung – 15,1%

3º. Amazon – 7,3%

4º. Lenovo – 6,3%

5º. Huawei – 5,6%

Em termos de evolução, a Samsung foi a que mais caiu (19,3%), sobretudo porque se apoiou nos slates, que estão em queda. A tentativa de entrar no mercado de detachables com o TabPro S não funcionou.

A Lenovo também caiu, 10,8%, remetendo apenas 2,7 milhões de unidades. Já a Huawei registou uma subida vigorosa de 28,4%, para 2,4 milhões de tablets, capitalizando o maior reconhecimento da marca devido ao sucesso nos smartphones.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor