Mark Zuckerberg nega influência do Facebook na vitória de Trump

e-MarketingRedes Sociais
0 0 Sem Comentários

Mesmo antes da vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos, o Facebook vinha sendo criticado por permitir a disseminação de notícias falsas e fabricações da direita radical. Agora que Trump venceu, Mark Zuckerberg escreveu na sua conta que a rede social não tem culpa pelo sucedido.

Isto após fortes críticas de analistas e jornalistas, dada a polarização que se vem afirmando nas redes sociais e o efeito de “bolha” que o Facebook cria – o algoritmo favorece a interação quase exclusiva com outros utilizadores e media com posições similares, o que reforça as ideias que a pessoa já tem. A diversidade outrora garantida por uma pluralidade de opiniões foi sendo enviesada na era do Facebook e Twitter.

Na sua conta, Zuckerberg escreveu que a missão da rede é dar voz a todas as pessoas. “Após as eleições, muita gente tem perguntado se as notícias falsas contribuíram para o resultado, e qual nossa responsabilidade na prevenção da disseminação de notícias falsas”, notou o CEO da empresa.

“De todo o conteúdo no Facebook, mais de 99% do que as pessoas veem é autêntico. Apenas uma pequena porção são notícias falsas e hoaxes”, garantiu. Zuckerberg disse que esses “mitos” fabricados não são um exclusivo de uma área política, e como tal é muito improvável que tenham modificado o resultado das eleições.

Ainda assim, o executivo disse que o Facebook lançou uma iniciativa para permitir que a comunidade denuncie notícias falsas.

O problema, notou, é que identificar a verdade é complicado. Algumas notícias falsas podem ser factualmente desmentidas, mas muitas peças baseiam-se em fatos reais só que reportados com algumas imprecisões. Noutros casos, trata-se de opiniões, o que não deve ser denunciado só porque não se concorda com elas.

“Estou confiante de que poderemos encontrar meios de ter a nossa comunidade a mostrar que conteúdos são mais importantes, mas acredito que temos de ser muito cautelosos para não nos tornarmos árbitros da verdade.

Zuckerberg prometeu ainda novidades sobre o News Feed em breve, dizendo que está orgulhoso pelo papel que o Facebook teve na eleição e pelo diálogo que gerou. Apesar de o resultado ter sido chocante para muita gente, o CEO escreveu que acredita na bondade das pessoas – e essa crença levará a melhores resultados a longo prazo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor