Lucros da Japan Display caiem mas empresa está otimista

Negócios

A Japan Display disse que deverá já este trimestre registar um aumento dos lucros operacionais. As previsões da empresa japonesa baseiam-se no crescendo dos pedidos por parte das fabricantes chinesas de telemóveis. Por outro lado, a sua rival mais direta, a Sharp, está a ter dificuldades em gerar lucro, pelo que está a procurar um

A Japan Display disse que deverá já este trimestre registar um aumento dos lucros operacionais. As previsões da empresa japonesa baseiam-se no crescendo dos pedidos por parte das fabricantes chinesas de telemóveis. Por outro lado, a sua rival mais direta, a Sharp, está a ter dificuldades em gerar lucro, pelo que está a procurar um resgate financeiro.

2013-05-20-smartphones

Fabricante de ecrãs para os iPhone da Apple, bem como para algumas outras marcas, a Japan Display espera conseguir, durante este segundo trimestre de 2015, arrecadar lucros de cerca de 15,34 milhões de euros, comparativamente a uma perda de 94,4 milhões de euros sofrida no período homólogo de 2014.

O primeiro quartel foi marcado por uma vertiginosa queda dos lucros operacionais, de cerca de 205 milhões de euros para 37,9 milhões. Esta disparidade, segundo a Reuters, foi causada por intensa pressão no mercado asiático.

No passado mês de fevereiro, a Japan Display revelou que estava a considerar construir uma central de produção na China. Esta fábrica dedicar-se-ia à produção de ecrãs para os smartphones da Apple e iniciaria as operações já em 2016. O anúncio foi feito depois de empresa californiana ter comunicado um exponencial crescimento no mercado chinês.

Depois de a IDC ter avançado que a China estava a começar a perder terreno no mercado global dos smartphones, chegando a um ponto de saturação, algumas dúvidas poderão surgir quanto à viabilidade de uma aposta no país por parte da Japan Displays. Não obstante, Tim Cook, CEO da Apple, parece não deixar demover-se, tendo recentemente dito que estaria em negociações com a Alibaba e com algumas entidades bancárias chinesas para levar o Apple Pay até à potência do Oriente, onde seria o primeiro sistema da sua estirpe.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor