Livros digitais devem crescer 150% até 2020

EmpresasNegóciosSoftware

A Bookwire, especializada em distribuição de eBooks, publicou um estudo abrangente sobre o mercado de livros digitais que analisa a situação do mercado na Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Equador, Espanha, México, Peru e Portugal. De acordo com o documento, as vendas digitais de livros na América Latina devem saltar de 1% para 10% a 15%

A Bookwire, especializada em distribuição de eBooks, publicou um estudo abrangente sobre o mercado de livros digitais que analisa a situação do mercado na Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, Equador, Espanha, México, Peru e Portugal.

kindle ebook amazon

De acordo com o documento, as vendas digitais de livros na América Latina devem saltar de 1% para 10% a 15% das vendas totais de livros até 2020.

O “Relatório dos Mercados Digitais Espanhol e Português da Bookwire” (Bookwire Spanish and Portuguese Digital Markets Report) visa editoras de livros locais e internacionais que desejam abrir novos canais digitais de distribuição.

“Os países de língua espanhola e portuguesa estão a passar por uma transformação digital maciça. Isto oferece aos editores desses países, bem como às editoras internacionais, enormes oportunidades de crescimento”, disse Javier Celaya, diretor gerente para a Espanha e América Latina da Bookwire e coautor do relatório. “O mercado de livros tradicional está a estagnar ou mesmo a diminuir enquanto as publicações digitais estão a tornar-se mais e mais interessantes para os leitores. Esses fatores farão com que o mercado digital nesses países praticamente expluda nos próximos 10 anos.”

O mercado de livros em espanhol e português é um dos maiores do mundo. Existem mais de 500 milhões de falantes de espanhol no mundo, com 40 milhões somente nos EUA. Mais de 200 milhões de pessoas falam português, principalmente no Brasil, Portugal, Moçambique e Angola.

Um dos grandes impulsionadores do mercado de eBooks é a maciça adoção de dispositivos móveis. Hoje, todos os smartphones do mercado são compatíveis com pelo menos uma plataforma de leitura de eBooks, e os ecrãs a partir de cinco polegadas, que já são padrão nos aparelhos de gama média, tornam a leitura mais fácil e agradável.

*Jocelyn Auricchio é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor