Lenovo adquire servidores low-end da IBM

Business IntelligenceData-StorageNegócios

Na maior aquisição de TI de sempre registada na China, o grupo Lenovo acordou a compra do negócio de servidores low-end da IBM por aproximadamente 2,3 mil milhões de dólares. A Lenovo e a IBM chegaram a um acordo referente à intenção da Lenovo em adquirir o negócio de servidores x86 da IBM. O acordo

Na maior aquisição de TI de sempre registada na China, o grupo Lenovo acordou a compra do negócio de servidores low-end da IBM por aproximadamente 2,3 mil milhões de dólares.

shutterstock_1083270831

A Lenovo e a IBM chegaram a um acordo referente à intenção da Lenovo em adquirir o negócio de servidores x86 da IBM. O acordo envolve os servidores e switches System x, BladeCenter e Flex System, os sistemas integrados Flex baseados em x86, os servidores NeXtScale e iDataPlex e ainda operações de manutenção mais de rotina.

O negócio ultrapassa a aquisição da Baidu, quando adquiriu a appstore “91 Wireless” da NetDragon Websoft em 2013, na altura por 1,85 mil milhões de dólares e ressalta a influência cada vez mais notória das empresas tecnológicas em solo chinês, bem como a capacidade de expansão que estas têm a nível mundial.

“Este acordo tem por base uma colaboração de longa data, que começou em 2005 quando a Lenovo adquiriu o negócio de PC da IBM, que incluía a linha de computadores ThinkPad. Desde então, a IBM e a Lenovo têm colaborado nas mais diversas áreas.”

A aquisição permite que a Lenovo consiga diversificar o tipo de ofertas além do negócio de computadores e reestruturar-se a si própria como uma crescente força no mercado dos dispositivos móveis e nos servidores de armazenamento de data.

Os analistas referiram que a empresa chinesa provavelmente terá mais facilidade em vender os servidores a empresas chinesas do que a IBM, na tentativa de adquirir negócios na área das tecnologias da informação.

No que diz respeito à IBM, a empresa consegue assim lucrar a partir dos negócios de baixa margem de lucro, que cobrem servidores menos poderosos e mais lentos que as atuais soluções de mercado e permite que a empresa se foque em desafios mais aliciantes que possam relançar a marca.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor