KDDI aumenta preços para colmatar quebras nas receitas

OperadoresRedes

A operadora wireless KDDI, a segunda maior do Japão, apresentou hoje os seus novos pacotes de telecomunicações, estratégia esta que intentará mitigar quebras nas receitas da empresa, mas que será causa do aumento dos preços para os clientes utilizadores de smartphones, numa altura em que as operadoras estão a perder território para aplicações que permitem

A operadora wireless KDDI, a segunda maior do Japão, apresentou hoje os seus novos pacotes de telecomunicações, estratégia esta que intentará mitigar quebras nas receitas da empresa, mas que será causa do aumento dos preços para os clientes utilizadores de smartphones, numa altura em que as operadoras estão a perder território para aplicações que permitem efetuar telecomunicações livres de quaisquer custos.

telecom

Assim, o novo plano mensal para o serviço KDDI au para os utilizadores de smartphones incluirá um chamadas de voz que rondarão os 26,46 dólares mensais, preço este que se assemelha aos estabelecidos no início deste mês pela NTT DoCoMo e pela SoftBank.

Com esta estratégia, é provável que as quebras que a KDDI tem vindo a sofrer se atenuem. Contudo, a crescente adesão a aplicações como a Line e a WhatsApp, que permitem que os utilizadores enviem mensagens de texto e efetue chamadas de voz sem qualquer custo, fará com que as operadoras de telecomunicações testemunhem um drástico decréscimo nas suas receitas.

Estes novos valores não foram bem aceites pelo público, que os considera abusivamente elevados. O próprio diretor executivo da KDDI, Takashi Tanaka, foi obrigado a admitir que os preços eram, de facto, altos.

A aplicação Line, da sul-coreana Naver, é especialmente popular entre as audiências nipónicas, pois possibilita o envio de mensagens e a efetuação de chamadas a partir de smartphones, sem que sejam cobradas quaisquer taxas.

Estamos perante uma luta pela sobrevivência, com as operadoras a tentarem afincadamente batalhar o crescente domínio das aplicações de telecomunicações, que poderão mesmo vir a colocar em xeque a própria existência destas empresas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor