Kaspersky Lab lança Iniciativa de Transparência Global

Segurança

A empresa de cibersegurança anuncia a Iniciativa Transparência Global como parte integrante do seu compromisso contínuo para proteger os seus clientes de ciberameaças independentemente da sua origem ou causa. A Kaspersky Lab irá, assim, fornecer o seu código fonte para revisão de terceiros e abrir três Centros de Transparência.

Com esta Iniciativa, a empresa irá envolver uma ampla comunidade na validação e verificação da confiança dos seus produtos, processos internos e operações de negócio. A Iniciativa Global de Transparência é a reafirmação do compromisso da empresa em conquistar e manter a confiança dos seus clientes e parceiros.

A Kaspersky Lab acredita que um aumento da cooperação para proteger o ciberespaço é agora mais importante que nunca para criat uma frente unida contra os cibercriminosos que projetam ataques cada vez mais sofisticados. 

A fase inicial da iniciativa inclui uma avaliação independente do código base da empresa com avaliações similares às atualizações e às regras de deteção de ameaças e uma revisão independente dos processos de ciclo de vida de desenvolvimento da empresa, do seu software e das estratégias de mitigação de riscos da cadeia de fornecimento. 

Por outro lado, serão desenvolvido controlos adicionais para gerir as práticas de processamento de dados da empresa, em coordenação com uma entidade independente. Todos estes passos deverão ocorrer durante o primeiro trimestre de 2018.

A Kaspersky vai, ainda, aumentar as recompensas para a descoberta de bugs (Bug Bounty) até cerca de $100,000 para as vulnerabilidades mais críticas encontradas segundo o programa de Divulgação de Ameaças da empresa. Esta medida será tomada até ao final de 2017.

Além disso, a companhia vai proceder à criação de três Centros de Transparência na Ásia, Europa e EUA até 2020.  Os centros servirão de sedes para clientes, parceiros de confiança e stakeholders governamentais e serão os locais onde se poderá aceder a revisões do código da empresa, atualizações de software e regras de deteção de ameaças, para além de outras atividades. O primeiro deverá abrir ainda em 2018.

“A balcanização da internet beneficia apenas os hackers. A cooperação reduzida entre países ajuda-os nas suas operações e as parcerias público-privadas não funcionam como deviam. A internet foi criada para unir as pessoas e partilhar conhecimentos. A cibersegurança não tem fronteiras, mas as tentativas de introduzir barreiras nacionais no ciberespaço são contraproducentes e devem ser travadas. Precisamos de reestabelecer a confiança nas relações entre empresas, governos e cidadãos, razão pela qual estamos a laçar esta Iniciativa de Transparência Global: queremos demonstrar como somos totalmente abertos e transparentes. Não temos nada a esconder. Acredito que, com estas ações, seremos capazes de ultrapassar a desconfiança e reforçar o nosso compromisso de proteger as pessoas em qualquer país do mundo.”, afirmou, em comunicado, Eugene Kaspersky, Presidente e CEO da Kaspersky Lab.

A empresa irá partilhar com regularidade os detalhes do progresso da iniciativa e vai determinar com a comunidade de segurança qual a próxima fase da iniciativa, que deverá ter início no segundo semestre de 2018. Sugestões para os próximos passos e as solicitações de terceiros interessados em colaborar com o projeto podem ser enviadas para a Kasperky Lab através deste email.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor