K.Tech é o novo prémio tecnológico do Acredita Portugal

InovaçãoNegóciosProjetosStartup
0 0 Sem Comentários

A KCS iT vai lançar, em parceria, com a Acredita Portugal, o prémio K.Tech direcionado a projetos de âmbito tecnológico. Esta parceria disponibiliza às ideias vencedoras apoio especializado à entrada no mercado através das melhores práticas ao nível de PMI.

O prémio surge no concurso de empreendedorismo da Acredita Portugal e é destinado aos projetos relacionados com as novas tecnologias de informação e com a implementação dessas tecnologias em áreas de negócio tradicionais.

Os vencedores contarão com o apoio da KCS iT na entrada no mercado, através da atribuição de uma bolsa de horas para implementação das melhores práticas ao nível de PMI.

“A parceria agora implementada com a Acredita Portugal surge como uma oportunidade única para ajudar a criar este dinamismo em torno da inovação e da identificação de talento num sentido mais abrangente e que produza resultados numa comunidade de profissionais, estudantes e organizações diversificada, junto da qual acreditamos que o nosso know-how pode fazer a diferença”, afirma Tiago Farinha, Diretor Geral da KCS iT

Segundo Pedro Queiró, CEO da Acredita Portugal, “as oportunidades criadas para empreendedores são importantes no contexto atual e os projetos lançados no mercado possuem um carácter original e encerram perspetivas de crescimento e transformação. A ligação à KCS iT torna-se um ativo importante neste desígnio de reconhecimento”.

Todos os participantes no concurso Montepio Acredita Portugal cujo projeto se enquadre no contexto tecnológico são automaticamente candidatos ao prémio K.Tech. A avaliação das ideias submetidas vai ser realizada por uma equipa de especialistas da KCS iT e por um representante da Acredita Portugal.

As candidaturas decorrem até ao dia 15 de janeiro, e podem ser submetidas online, de forma gratuita através do site oficial da Acredita Portugal. Podem inscrever-se todos os cidadãos de nacionalidade portuguesa, cidadãos descendentes em primeiro ou segundo grau de parentesco de nacionais portugueses, e cidadãos que residam em território português com título válido de autorização de residência.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor