JP – inspiring knowledge apoia projeto tecnológico no Uruguai

ProjetosSetor Público

A portuguesa JP – inspiring knowledge vai ser o braço direito do Plan Ibirapitá, um projeto tecnológico do Governo do Uruguai que vai entregar 350 mil tablets a reformados de baixos rendimentos no país. A iniciativa foi criada para promover a inclusão social e a igualdade de acesso ao conhecimento através das novas tecnologias.

Depois de ter apostado numa revolução tecnológica no campo da educação, com o Plan Ceibal, o governo uruguaio vai agora estender o projeto a cidadãos reformados. O novo programa tecnológico pretende distribuir tablets produzidos pela JP –inspiring knowledge durante os próximos cinco anos.

“A igualdade no acesso ao conhecimento através das novas tecnologias não tem de ser promovida apenas na educação. É com orgulho que a JP – inspiring knowledge vê as suas soluções alcançar beneficiários que representam a aprendizagem para toda a vida”, afirmou em comunicado Jorge Sá Couto, presidente do Conselho de Administração da empresa.

Mas não se trata de uns tablets quaisquer. Os equipamentos terão um interface especialmente desenhado para o público idoso, com conteúdos pré-carregados de várias áreas de interesse. O Plan Ibirapitá garante ainda a ligação gratuita à Internet nas casas dos destinatários e acesso a um curso de formação tecnológica.

“Este plano é uma experiência inédita para o país e integra o Sistema Nacional de Cuidados. Queremos que o Uruguai continue a desenvolver-se, e que todos os uruguaios possam aceder à tecnologia”, declarou em comunicado Ernesto Murro, ministro do Trabalho e Segurança Social do Uruguai.

O projeto já arrancou com a entrega de mil tablets. Os primeiros beneficiários constituem um “grupo piloto”, que vai permitir testar e monotorizar as etapas e serviços do programa.

Numa fase inicial, estão contemplados apenas pensionistas com um rendimento mensal inferior a 24.400 pesos (776,50 euros). Ainda em 2015, espera-se a entrega de 30 mil tablets.

Segundo dados avançados pela JP-IK em comunicado, em 2007, apenas uma em cada dez famílias uruguaias tinha acesso a um computador. Estes dados estatísticos são agora bem diferentes graças a várias iniciativas governamentais que levaram a que oito em cada dez lares do país acedessem às novas tecnologias.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor