Investidores mostram-se pouco confiantes no novo Galaxy S6

EmpresasNegócios

As críticas favoráveis aos novos modelos Galaxy S6 não faziam prever uma queda no valor das ações da Samsung de quase 6 por cento até ao meio dia das transações desta segunda-feira. Na origem das baixas expectativas dos investidores, parecem estar a escassez de oferta do smartphone S6 Edge e os ventos contraditórios da economia na Europa e na China.

“Depois dos resultados do primeiro trimestre, o consenso para os ganhos do segundo trimestre rondava os 6,22 mil milhões de dólares, mas, agora, se o primeiro dígito não for o seis não será um choque”, disse à Reuters Park Jung-hoon, gestor de fundos da HDC Asset Management.

Contudo, de acordo com um estudo do I/B/E/S da Thomson Reuters, a tendência para uma recuperação gradual das receitas vai manter-se. O lucro de 2015 deve crescer 11 por cento face ao valor registado no ano passado.

Segunda a agência Reuters, a Samsung espera ainda que os novos smartphones sejam os dispositivos mais vendidos até à data. A empresa de estudos de mercado Counterpoint revelava em junho que a Samsung tinha vendido seis milhões de smartphones S6  desde o lançamento no dia 10 de abril, ultrapassando o modelo anterior, o Galaxy S5, em relação ao mesmo período de tempo.

Mas os analistas dizem que a incapacidade da Samsung para antever a procura do S6 Edge conduziu a uma oportunidade falhada.  “À medida que o mercado dos smartphones amadurece, o período de procura por um produto de alta qualidade parece ter diminuído”, observou o analista Jin Sung-hye da KTB.

Apesar de a empresa afirmar que tem agora capacidade para satisfazer a procura deste modelo, os dispositivos enfrentam em breve a competição do novo iPhone da Apple, cujo lançamento se espera para setembro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor