Intel volta a negociar aquisição da Altera

Negócios

Afinal a compra da Altera pela Intel poderá ainda vir a acontecer. Depois de as conversações entre as duas tecnológicas terem caído por terra, parece que o negócio de aquisição superior a 13 mil milhões de dólares volta mais uma vez para cima da mesa. A notícia da recuperação das negociações foi primeiramente veiculada pelo

Afinal a compra da Altera pela Intel poderá ainda vir a acontecer. Depois de as conversações entre as duas tecnológicas terem caído por terra, parece que o negócio de aquisição superior a 13 mil milhões de dólares volta mais uma vez para cima da mesa.

intel chipsA notícia da recuperação das negociações foi primeiramente veiculada pelo New York Post (NYP), cuja fonte anónima com conhecimento do processo afirmou que um acordo poderia ser traçado dentro de algumas semanas.

A Altera é especializada no fabrico de processadores reconfiguráveis, que podem ser programados para operar em eletrónica de consumo, automóveis e noutros equipamentos. Por seu lado, a Intel tem procurado divergir do seu negócio de semicondutores para computadores. Ao trazer a Altera para debaixo da sua alçada, a Intel estaria a potenciar as suas próprias capacidades ao nível de chips, mas também poderia conquistar terreno noutras áreas, como dispositivos móveis e carros.

Em janeiro, a Intel apresentou já o seu microprocessador Intel Curie. Este circuito deverá ser disponibilizado na segunda metade deste ano, e materializa os esforços da Intel no sentido de plantar o seu estandarte na esfera dos dispositivos wearable, visto que o Curie não é maior do que um botão-de-punho. A Altera seria, assim, uma valiosa adição.

Em abril, uma vaga de negociações entre as empresas terminou depois de a Altera, conta o NYP, ter recusado a oferta de 54 dólares por ação proposta pela Intel.

Um negócio de valor acima dos dez mil milhões de dólares seria o mais dispendioso alguma vez realizado pela Intel.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor