Intel investe mais 250 milhões de dólares em carros autónomos

InovaçãoMobilidadeNegócios
0 0 Sem Comentários

Para CEO da Intel, os dados serão o novo petróleo. Apenas um único veículo autónomo deverá produzir, com as suas câmaras, radares, GPS e demais componentes, um total 4 TB de dados ao dia, uma quantidade de dados equivalente ao produzido por quase 3 mil pessoas.

A Intel vai aplicar mais de 250 milhões de dólares em investimentos adicionais em carros autónomos nos próximos dois anos através do seu braço de venture capital, Intel Capital. O anúncio foi feito por Brian Krzanich, CEO da Intel, durante um evento em Los Angeles, na Califórnia, e detalhado num post no blog da empresa.

Para ele, embora hoje o mundo se mova à base de petróleo, “quando se trata dos carros do futuro e experiências de condução automatizada, os dados são literalmente o novo petróleo”. “Os dados têm o potencial de transformar radicalmente a forma como pensamos a experiência de conduzir: enquanto consumidores, fabricantes de automóveis, especialistas em tecnologia e cidadãos das nossas comunidades”, diz.

E se acham que o mundo hoje já está inundado com dados, esperem para ver o que o futuro lhe reserva. As projeções citadas por Krzanich dão conta de que uma pessoa que hoje gera 650 MB de dados por dia através do uso de seu computador, smartphone e wearable, em 2020 deve gerar em média um volume de 1,5 GB de dados por dia, um crescimento de 200% em quatro anos.

E isso, segundo o executivo, ainda será um volume irrisório face à quantidade de dados que um único veículo autónomo deverá produzir, com as suas câmaras, radares, sensores, GPS e demais componentes, um total de 4 mil GB, ou 4 TB de dados por dia. “Cada carro autónomo produzirá uma quantidade de dados equivalente a quase 3 mil pessoas (…) e se estimarmos um milhão de carros autónomos em todo o mundo, isso significa que gerarão um volume de dados equivalente a 3 bilhões de pessoas”.

Para lidar com todo esse volume de informações e maximizar o valor dos dados coletados dos automóveis, Krzanich avalia que a indústria automóvel deverá equipar-se e agregar inteligência aos seus processos, sem descuidar a segurança. A Intel quer liderar “a próxima geração da transformação computacional”.

Vale a pena lembrar que, após ter adquirido a empresa de visão computacional ITseez especializada em hardware para IoT e veículos autónomos, Intel anunciou em julho uma parceria com a BMW e a Mobileye para a oferta de carros autónomos até 2021, além de integrar a 5G Automotive Association.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor