INESC e Instituto Superior Técnico apresentam FAQtos

EmpresasNegócios

Uma equipa do Instituto de Engenharia de sistemas e computadores anuncia o lançamento do FAQtos, um projeto tecnológico de âmbito nacional que, a partir do Instituto Superior Técnico, vai informar o público acerca da radiação eletromagnética emitida por sistemas de comunicações móveis. O projeto FAQtos vai posicionar-se em três grandes planos. Esses planos são a

Uma equipa do Instituto de Engenharia de sistemas e computadores anuncia o lançamento do FAQtos, um projeto tecnológico de âmbito nacional que, a partir do Instituto Superior Técnico, vai informar o público acerca da radiação eletromagnética emitida por sistemas de comunicações móveis.

pong_iphone_cellphone_radiationO projeto FAQtos vai posicionar-se em três grandes planos. Esses planos são a medição de radiações, investigação para produção de documentos e relatórios e comunicação, através de ações de informação e divulgação, dando continuidade ao trabalho até aqui levado a cabo pelo projeto minIT.

Este projeto propõe também um desafio à comunidade escolar, com a organização anual do Prémio FAQtos. Pensado para todos os alunos do ensino secundário, tanto de escolas públicas como privadas, o prémio vai convidar alunos e professores orientadores a entregarem projetos de natureza interdisciplinar e transdisciplinar que contribuam para a formação de uma consciência coletiva na matéria de campos eletromagnéticos oriundos de fontes de telecomunicações. Os melhores alunos receberão prémios entre os 500 e os 1500 euros.

“O FAQtos vai ajudar a esclarecer e a desmistificar questões relacionadas com o tema das radiações, nomeadamente no que se refere aos efeitos da exposição aos campos eletromagnéticos na saúde da população e no ambiente”, refere Luís Correia, Coordenador do FAQtos, Investigador do INOV-INESC e Professor do IST.

“O Prémio FAQtos vem reforçar o caráter informativo do projeto através do estímulo às camadas mais jovens em aspetos como o desenvolvimento de metodologias de projeto, a promoção de competências no exercício de uma cidadania ativa e claro, o espírito criativo”, acrescenta o professor.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor