Information Builders anuncia tendências para 2014

EmpresasNegócios

A Information Builders apresentou as sete tendências que vão marcar o universo dos dados em 2014. O próximo ano será o ano das aplicações, do advento das máquinas e da convergência analítica. A primeira tendência é que o conceito de Big Data perderá destaque, no entanto, os volumes de dados não vão deixar de aumentar.

A Information Builders apresentou as sete tendências que vão marcar o universo dos dados em 2014. O próximo ano será o ano das aplicações, do advento das máquinas e da convergência analítica.

Woman's Eye and World GlobesA primeira tendência é que o conceito de Big Data perderá destaque, no entanto, os volumes de dados não vão deixar de aumentar. O crescimento dos dados vai continuar a ser um grande problema ou uma grande oportunidade.

O ano de 2014 será também o ano das aplicações. Vai-se registar um grande aumento na utilização de aplicações analíticas em comparação com o emprego de ferramentas tradicionais de análise de informação.

O advento das máquinas é outra das tendências. Já muitos especialistas discutem sobre Big Data e centram-se em dados desestruturados, criados pelos seres humanos, como os provenientes das redes sociais. No próximo ano, os dados criados pelas máquinas vão adquirir mais relevância e vão crescer mais rápido do que qualquer outra fonte de Big Data utilizada para fins analíticos.

A quarta tendência é que o Data Steward será o próximo posto de trabalho no universo de Tecnologias da Informação. O cargo de Data Scientist deu que falar em 2013 mas, tendo em conta que os volumes de dados continuarão a crescer significativamente no seio das empresas, dar-se-á mais ênfase à gestão e supervisão da informação. Vão emergir novos postos como o de Data Steward.

A ascenção da data discovery de dados integrados é outra das tendências. As ferramentas de data discovery têm conquistado um grande êxito na indústria durante os últimos anos, beneficiando os seus fornecedores. No entanto, muito dos utilizadores de ferramentas estanques de data discovery desconhecem como manipular os dados para obter os resultados esperados. Muitas vezes os dados não provêm do sistema adequado, contendo erros ou não se encontrando no formato adequado para a sua integração com outros dados. Por isso, os fornecedores deverão ser capazes de integrar os dados de confiança dos seus clientes com os programas de visualização existentes.

Outra tendência é a qualidade dos dados que se revela um problema em crescimento. O número de incidências em matéria de integridade da informação aumentará muito, especialmente no que se refere à analítica de Big Data. No próximo ano o foco sobre a qualidade dos dados vai intensificar-se.

A sétima e última tendência é a convergência analítica. A convergência da analítica preditiva, a data discovery, os sistemas de informação geográfica e outras soluções de analítica vão comandar a nova era da automatização analítica através da aprendizagem automática, o ETL inteligente e outros processos automatizados.

Os analistas deparam-se atualmente com a existência de grandes volumes de dados e estão a ver-se obrigados a extrair os subconjuntos mais relevantes para poder desenvolver algum tipo de análise. Graças à convergência da analítica estatística com as funcionalidades de ETL e extração de dados, os analistas vão poder utilizar a precisão da analítica preditiva para avaliar quais os conjuntos de dados que devem extrair.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor