Informação desprotegida nos dispositivos móveis

EmpresasMobilidadeNegócios

De acordo com os dados recolhidos pela Symantec, um em cada três utilizadores não tem um conhecimento certo de quão invasivas as aplicações instaladas nos dispositivos móveis podem ser. O estudo realizado pela empresa explica que  74 por cento das pessoas que utilizam dispositivos móveis preocupam-se mais com a informação armazenada nestes do que há

De acordo com os dados recolhidos pela Symantec, um em cada três utilizadores não tem um conhecimento certo de quão invasivas as aplicações instaladas nos dispositivos móveis podem ser.

limpeza-computador-1O estudo realizado pela empresa explica que  74 por cento das pessoas que utilizam dispositivos móveis preocupam-se mais com a informação armazenada nestes do que há cinco anos.

Por dia são descarregadas e instaladas milhões de aplicações onde o utilizador não tem a certeza do nível de acesso que estas conseguem ter dentro das informações dos utulizadores. Os resultados da estudo, apontam que 58 por cento das pessoas não têm um controlo certo da informação que guardam nos aparelhos, nem o que devem fazer para as proteger.

Da mesma forma, a empresa procura alertar aos utilizadores o perigo presente no momento de mudar ou vender os dispositivos. Atualmente é muito comum mudar de telemóveis em curto prazo, mas a venda ou troca pode permitir a passagem de informações confidenciais para mãos “inadequadas”. Deste modo, a Symantec faz a recomendação direta de “em caso de venda ou troca dos dispositivos, deve-se realizar a destruição física da memória” para eliminar qualquer informação antiga guardada.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor