INESC TEC e Siemens desenvolvem micro-redes

InovaçãoInvestigação

A Siemens e o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) vão começar a trabalhar num modelo de simulação e metodologias de cálculo que vão suportar o desenvolvimento deste negócio a nível mundial.

Sabia que um dos fatores de sucesso para obter maiores taxas de penetração de fontes de energia renovável na rede elétrica é apostar nas micro-redes e no armazenamento de energia?, questiona o INESC TEC.

As micro-redes tornam possível assegurar o fornecimento de energia elétrica, de forma totalmente autónoma, a regiões remotas, independentemente de estas se encontrarem ou não ligadas à rede principal, explicam em comunicado de imprensa. É nesse sentido que a Siemens e o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) vão começar a trabalhar num modelo de simulação e metodologias de cálculo que vão suportar o desenvolvimento deste negócio a nível mundial.

A ferramenta que vai ser desenvolvida pelo INESC TEC irá permitir analisar o funcionamento das micro-redes em diversas condições, sendo uma mais valia para dimensionar as soluções que melhor se adequam a cada caso.

“Queremos criar um modelo que nos permita fazer estudos de integração de energias renováveis, como a solar, fotovoltaica ou eólica, em redes isoladas para ajudar na gestão operacional da rede”, explica em comunicado João Peças Lopes, administrador do INESC TEC, que vai participar no projeto.

O INESC TEC vai, assim, assinar amanhã, dia 27 de julho, um contrato com a Siemens, no edifício sede do instituto, localizado no Campus da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), celebrando o primeiro trabalho de cooperação entre as duas entidades.

“Procurámos o INESC TEC pela sua grande experiência e conhecimento na área das soluções para redes isoladas e fornecimento de energia em áreas remotas. Estas duas características dão-nos a possibilidade de implementar de forma eficiente uma simulação robusta que se adeque às necessidades dos nossos clientes à escala mundial”, explicou no mesmo doucmento Luis Marçal, diretor de Smart Grids da Energy Management da Siemens Portugal.

A utilização eficiente das micro-redes tem impacto não só na redução de emissões de CO2, mas também na diminuição dos custos totais do sistema elétrico, uma vez que com a integração segura de fontes de energia renovável é possível reduzir significativamente os custos associados aos combustíveis fósseis que estão tipicamente na base da operação destas redes, explicam.

Nesse sentido, a Siemens Portugal tem vindo a desenvolver um conjunto de equipamentos, soluções e serviços para a área das Micro-redes e Armazenamento de Energia, para a qual é Centro de Competências da empresa a nível mundial. Adicionalmente, a empresa, presente no país há 111 anos, apostou sempre na área da investigação, desenvolvimento e inovação (IDI), fomentando mais de 100 parcerias com a comunidade tecnológica-científica. Desta política já resultaram mais de 100 projetos de IDI em Portugal.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor