Indra ajuda a dar vida ao novo aeroporto de Omã

Negócios

A Indra foi a empresa responsável por dotar o novo aeroporto de Salalah, no Sultanato de Omã, de sistemas de controlo de tráfego aéreo e de gestão de operações. A tecnológica espanhola apoiou também a formação de controladores de tráfego aéreo para o novo terminal.

Foi no passado dia 15 de junho que o renovado aeroporto omanense foi oficialmente inaugurado pela Autoridade de Aviação Civil (PACA) do Sultanato e a Indra desempenhou uma papel crucial no seu desenvolvimento, tendo em conta que teve a seu cargo o desenho e materialização do esqueleto tecnológico do aeroporto.

Diz a Indra que o objetivo, a médio prazo, é converter o terminal de Salalah no segundo maior aeroporto internacional de Omã, atrás do de Mascate, capital do país.

O novo centro de aproximação e torre de controlo foram equipados com o sistema avançado de gestão de tráfego aéreo da Indra, bem como com um sistema de informação meteorológica para tornar mais precisas as decisões preditivas dos controladores. “Toda esta tecnologia torna possível que o aeroporto cresça e possa gerir um maior número de voos”, garante a Indra em comunicado.

Especialistas da NATS, uma empresa britânica que fornece serviços de navegação, ajudaram a tecnológica hispânica a implementar os novos sistemas no aeroporto de Salalah. Estes atuaram como consultores para averiguar possíveis riscos e colocar em ação planos para os minimizar. A NATS desempenhou um papel essencial na formação das equipas locais para que possam responder pronta e eficazmente a eventuais alterações operacionais que possam ocorrer a posteriori.

Através de um contrato traçado com a Main Contract 6, a Indra instalou um centro avançado de gestão aeroportuária para permitir a orquestração conjunta – entre operadores de segurança do terminal e autoridades policiais – da chegada e partida de passageiros. Este centro recolhe dados relativos ao circuito fechado de videovigilância, aos equipamentos básicos de edifício (água, eletricidade, luz, etc) e aos sistemas de apoio às linhas aéreas (como Bases de Dados de Operações Aeronáuticas, o Sistema de Gestão de Recursos e o Sistema de Informação ao Viajante). “Toda esta informação permite gerir de forma eficiente todos os recursos de que se dispõe para agilizar as operações e dar o melhor serviço às companhias aéreas e passageiros”, explica a Indra.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor