iMARE da Indra controla porto britânico

InovaçãoSegurança

O sistema iMARE da Indra está a ser utilizado para controlar o tráfego das embarcações de um dos maiores portos do Reino Unido, o de Southampton. Todos os barcos que entram e saem, assim como todos os que navegam naquelas águas, estão a ser geridos pela solução que faculta toda a informação e as ferramentas necessárias para controlar, de forma segura e eficiente, os movimentos no local.

Anualmente passam pelo cais mercadorias de valor superior a 46 milhões de euros, fazendo deste o porto britânico com mais importância nas exportações. O sistema da Indra oferece uma solução à altura destas operações, por facilitar a gestão deste enorme volume de operações. O porto de Southampton é ainda o primeiro por volume de importação/exportação de produtos automóveis e o segundo em gestão de contentores. As suas águas profundas facilitam às maiores embarcações do mundo atracar ali.

O serviço prestado a este tipo de embarcações é melhorado pelo sistema da Indra, elevando a competitividade do porto e a sua capacidade para continuar a ser a base das principais agências de navegação do mundo. Com esta tecnologia, os operadores do porto conseguem gerir de forma mais rápida a entrada e saída destes navios, reduzindo os custos e garantindo a segurança das manobras. A implementação deste sistema é um avanço na modernização do porto e foi feita pela proprietária e autoridade legal do Porto, a Associated British Ports, ABP.

Com o sistema iMARE, os operadores que estão no centro de controlo dispõem de um cenário marítimo integrado, baseado em cartas náuticas digitais e estandardizadas, beneficiando assim da visão total do que acontece nas águas. Nos ecrãs do sistema podem ser vistos e identificados todos os barcos, a posição exata dos mesmos, carga e rota, e ainda comunicar com a cabine de comando da embarcação para facultar instruções e coordenar a sua entrada e saída.

A partir de uma determinada tonelagem as embarcações passam a ter um equipamento de posicionamento automático, AIS, que os identifica e presta informação sobre a carga e outros dados. Esta informação é toda fundida no iMARE, assim como a que passa ao radar, no sistema digital de chamadas de emergência, o sistema DSC, e as estações meteorológicas e das marés. Os operadores passam a ter a informação disponível de forma simples e rápida, possibilitando a tomada de decisões e  a gestão do tráfego no porto. Certas tarefas repetitivas, como a atribuição automática de rota ou a criação de alarmes, podem ser automatizadas no sistema que está, por sua vez, integrado no sistema portuário de tarifação e faturação das entradas.

O sistema iMARE conta com o suporte de quatro novos radares e de câmaras, implementados pela Indra, que permitem confirmar visualmente a informação. Estes sensores cobrem a vigilância não só do porto,mas também das águas do estreito que o separam da Ilha de Wight, um troço de mar que regista um elevado tráfego marítimo. Esta informação é partilhada com o porto vizinho, melhorando também a sua gestão e segurança. O sistema fornece ainda dados processados a organismos governamentais para exploração e integração, como a agência estatal MCA, Maritime and Coast guard Agency.

A relação da Indra enquanto sócia tecnológica da ABP, entidade privada que controla 21 portos no Reino Unido, tem-se intensificada com o sucesso da implementação do sistema de tráfego de embarcações, o VTMS,  no porto de Southampton.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor