Conferência IFS | Aquisição, IoT, mobilidade e o poder da marca

CloudGestãoInovaçãoMobilidadeNegócios
0 7 Sem Comentários

A sueca IFS juntou em Gotemburgo o seu ecossistema de parceiros e clientes para anunciar o seu compromisso com a Internet of Things (IoT), reforçar o lançamento do IFS Applications 9 ocorrido o ano passado e anunciar as eternas áreas de ação: mobilidade, Field Service Managment (FSM) e uma aposta no reconhecimento da marca. Pelo meio, lançou ainda o IFS Product Estimate Management e o IFS IoT Business Connector.

* em Gotemburgo, Suécia

“Somos o segredo mais bem guardado da indústria”, disse Alastair Sorbie, o presidente e CEO da IFS na sessão de abertura da Conferência Mundial da empresa sueca, que decorre até amanhã, em Gotemburgo.

A empresa global de aplicações empresariais tem tido uma boa performance financeira mas a verdade é que, tem termos de marca, ainda não chega sequer perto de nomes como a SAP, a Oracle ou a Microsoft, seus concorrentes.

Aliás, esta necessidade de agilizar as decisões e investimento na marca acabou por ganhar um novo alento com a saída da IFS da bolsa de Nasdaq Stockholm no passado mês de setembro, uma consequência da compra de mais de 90% das suas ações por parte da EQT Partners, um grupo privado sueco que conta com uma série de fundos de capital de risco investidos em empresas não cotadas.

Ou seja, este é o primeiro grande evento após a aquisição por parte da EQT.

No primeiro semestre deste ano, a IFS registou um crescimento de 9% no seu volume de negócios, o que se traduz num aumento positivo de 8 milhões de euros face a igual período do ano passado. Isto em termos globais. Daí que o CEO garante serem o segredo mais bem guardado e admite a necessidade de investir no tal reconhecimento da marca, de resto um dos pilares de ação a curto prazo.

Em fevereiro deste ano, precisamente neste capítulo da criação de valor ao nome IFS, a empresa anunciou ter-se tornado no principal parceiro da equipa de Fórmula 1 Sauber.

Mas vamos às novidades desta conferência mundial, já que viajaram participantes desde o Japão, Austrália ou África do Sul, tornando este encontro num evento efetivamente global.

A mobilidade é uma das prioridades de investimento da empresa sueca. A empresa investe 10% do seu rendimento líquido em I&D, mas este valor inicialmente projetado pode vir a ser maior agora que regressou às mãos de privados.

Field Service Management (FSM) é outra das áreas que irá merecer atenção por parte da IFS. Um percurso que se pode depreender como natural após a compra há alguns anos da Metrix e da 360 Scheduling.

Alastair Sorbie admitiu que o mercado tentou criar algum “alarme” após o negócio de compra por parte da EQT, vaticinando o “fim” da IFS, mas o presidente e CEO “sossegou” os presentes dizendo que as intenções do comprador são de investimento e que a IFS tem um portfólio robusto que lhe permite endereçar todos os desafios desta tão afamada transformação digital.

Para isso, Alastair Sorbie sublinhou a importância do IFS Applications 9, lançado o ano passado que, segundo o CEO, tem sido um excelente feedback atingindo os 200 mil utilizadores.

Outro aspeto que acredita fortalece a IFS é a capacidade de retenção de clientes que, nas suas palavras, é o dobro da média da indústria. Isto para além de “87% dos clientes recomendarem a IFS face a outros vendedores”, disse na apresentação.

Na sessão de abertura, o presidente falou ainda do investimento contínuo no IFS Labs, que funciona como um centro de inovação e novas tecnologias, “validando-as” para ver até que ponto podem ir para o mercado.

“Nunca a tecnologia teve um impacto tão profundo como agora”, admite. Mas há ainda muito a fazer, até porque segundo um estudo da empresa sueca, 86% dos empresários afirma que a transformação digital iria impactar o seu negócio… mas 40% não tem planos e nem sabe como o fazer.

Um dos lançamentos neste evento foi o denominado IFS IoT Business Connector que, tal como o próprio nome indica, irá ligar as “coisas das empresas” às aplicações da IFS.

Ou seja, basicamente o novo produto propõe-se reduzir o tempo que vai desde a ideia aos benefícios tangíveis para iniciativas da Internet das Coisas dos clientes, fornecendo uma arquitetura end-to-end e a capacidade de transformar as descobertas da Internet das Coisas em ações.

Por outro lado, IFS Product Estimate Management, também apresentado nesta conferência, tem como principal função oferecer novas capacidades no IFS Applications para gerir estimativas de preços complexas. Ou seja, o novo recurso melhora o processo de venda e oferta pela rapidez e precisão do cálculo de oferta preços.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor