IFA: Huawei volta a colocar pessoas no centro da tecnologia

EmpresasMobilidadeNegóciosSmartphones

E começou. Começou a loucura dos lançamentos em Berlim que antecedem mais uma edição da IFA (Internationale Funkausstellung Berlin), a decorrer de dia 4 a 9 de setembro. E tal como esperado, a Huawei entrou em campo com o novo Mate S. E, no final da apresentação, mais uma “surpresa”. O lançamento do G8.

“Este é um equipamento que vai mudar a vossa forma de pensar e de interagir”. Foi desta forma que a chinesa Huawei, um dos três maiores fabricantes de telemóveis do mundo, apresentou em Berlim o seu novo Mate S.
Glory Cheung, diretora de marketing da marca, garantiu em Berlim que a Huawei quer contribuir para esta nova era na qual sete mil milhões de telemóveis estarão registados no final deste ano. Uma era na qual estarão 100 mil milhões de sensores e equipamentos conectados até 2025 e na qual 47 milhões de aparelhos estão a ser ligados todos os dias. É aqui, nesta era, que a Huawei quer “brindar à paixão e ao amor à vida”, diz a diretora de marketing. E, desta forma, a marca chinesa continua a apelar aos sentidos para a apresentação dos seus produtos. “Queremos ser mais do que tecnologia, queremos tocar a vossa vida”.

O poder do “touch”

Chamemos-lhe o poder do “touch”, ou do toque, em português. E tal como em Londres, na apresentação do bem-sucedido P8, foi Richard Yu, CEO do consumer business group, que subiu ao palco para dar as boas-vindas ao novo Mate S. “Tecnologia para quê? Para os seres humanos. Para as pessoas. Quer para melhorar a vida das pessoas quer a sua eficiência. Mas são os seres humanos que estão no centro de tudo”.
E é algo de arrojado o que Richard Yu nos propõe: que o smartphone seja, nada mais nada menos, do que a extensão do homem. E que o toque, tão importante para o ser humano, através da qual expressamos os nossos sentimentos, se transforme em tecnologia “touch” e toque da mesma forma as pessoas.
Equilíbrio e tecnologia é o que a marca propõe para este dual SIM de 5.5 polegadas da qual a B!T apresenta mais abaixo as características técnicas. Só uma dica: o ecrã é também uma balança. Sim, uma balança. E é resistente à água. E 10 minutos de carga dá para duas horas de conversação, diz a Huawei.
Para já, uma certeza. Vai chegar a Portugal na primeira semana de outubro a 699 euros.
E, como diz o CEO, toda a gente gosta de um bom telefone. O problema é que muitas vezes não temos orçamento para os nossos gostos. Por isso, a empresa chinesa fez mais um lançamento. O denominado G8, sucessor do G7, igualmente com 5’5 polegadas, gorila glass e corpo de metal. Também irá aparecer por Portugal em outubro, por 449 euros.
E para finalizar, o esperado Huawei Android Wear Watch, que já tinha sido apresentado em Barcelona, no WWC, compatível também com iOS, que chega a terras lusas em finais de setembro por 399 euros.

Mate S: o lado mais técnico

O novo Mate S tem um ecrã circular 2.5D de 5,5 polegadas, com 7,2 mm de espessura e 2,65 mm de aresta lateral. A tampa traseira é curvada e inclui uma bateria laminada. Uma das características interessantes do Mate S é que o seu ecrã pode ser utilizado para pesar objetos, como uma balança.

Este novo smartphone estão munido de tecnologia Fingerprint 2.0, uma versão melhorada da tecnologia utilizada no antecedente Mate 7. Diz a Huawei, em nota, que a Fingerprint 2.0 permite uma velocidade de reconhecimento da impressão digital 100% mais rápida que a versão anterior.

A câmara traseira de 13 MP está equipada com uma sensor RGBW, um estabilizador ótico, flash Dual color-temp LED, e um processador independente de sinal de imagem. Todos juntos, estes componentes, diz a Huawei em nota, permitem a captura de imagens de qualidade superior.

Já a câmara frontal tem uma resolução de 8 MP e conta pequenas luzes de pouca intensidade procuram melhorar a qualidade das chamadas selfies.
Em termos de áudio, o Mate S inclui três microfones, cujo algoritmo de direção inteligente da Huawei permite captar sons com o menor ruído possível.
O dispositivo é ainda compatível com 700 tipos de impressoras de 29 marcas distintas, graças ao protocolo geral de impressão Mopria.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor