Idol 3 lidera frota de smartphones da Alcatel em 2015

MobilidadeSmartphones

O terceiro membro da família de smartphones OneTouch da Alcatel já chegou às lojas portuguesas. A fabricante francesa diz que este dispositivo vem reforçar a sua aposta no design e que espera um volume de vendas superior ao conseguido com modelos anteriores.

IDOL 3 AlcatelDisponível em duas versões, uma com um ecrã de 4,7 polegadas e outra com um de 5,5, o OnteTouch Idol 3 é caracterizado, fundamentalmente, pela capacidade de funcionamento mesmo quando o telemóvel está de “cabeça para baixo”. Por esta razão, a Alcatel refere-se ao Idol 3 como “o primeiro smartphone no mercado totalmente reversível”, permitindo ao utilizador operá-lo e usufruir de todas as suas funcionalidades quando a extremidade que habitualmente seria a superior está para baixo. Isto é possível pois o software deteta que o telemóvel foi invertido e, por conseguinte, oriente o ecrã de forma a permitir que a pessoa o utilize como se este estivesse na posição convencional. Ambas as extremidades do aparelho têm um microfone e um altifalante, tornando possível a comunicação por voz em modo invertido.

A Alcatel afirma que este será o seu dispositivo flagship até ao fim do ano, altura em que deverá estar disponível em mais de uma centena de mercados por todo o mundo.

O Idol 3 foi concebido para um grupo-alvo de consumidores até aos 35 anos, tendo começado a ser comercializado no dia 5 de junho em Portugal.

Para além do design e da reversibilidade do ecrã, as apostas da Alcatel materializaram-se ao nível do áudio, da definição das cores e das câmaras.

O smartphone integra duas colunas frontais, demarcando-se, assim, dos dispositivos congéneres. Este foi o resultado da aliança que a Alcatel tem vindo a desenvolver com a sua parceira de áudio JBL. Ainda nesta vertente, o Idol 3 permite a mistura de faixas e a sua gravação, através da aplicação Alcatel OneTouch Mix.

Os ecrãs, tanto os de 4,7 polegadas como os de 5,5, são potenciados pela tecnologia Color Enhanced da Technicolor, permitindo uma visualização de qualidade mesmo em ambientes de elevada luminosidade e cores mais definidas.

Falando de câmaras, o Idol 3 de 4,7 conta com uma frontal de cinco megapixéis, ao passo que o de 5,5 polegadas tem uma de 8. As câmaras posteriores, em ambos os modelos, têm uma qualidade de 13 mp e estão munidas de um sensor da Sony que permite a deteção facial em 0,26 segundos, o que, consequentemente, aumenta também a velocidade de focagem e captura de imagem. A câmara frontal, para além de ter um ângulo de captura de 84 graus, emprega ainda tecnologia de reconhecimento ocular para efetuar o desbloqueio do telemóvel, evidenciando um reforço, por parte da Alcatel, da segurança dos dispositivos móveis.

A experiência de utilização, garante a tecnológica francesa, é igual nas duas variantes, sendo que beneficiam da mesma tecnologia áudio da JBL, do mesmo sensor da Sony e do mesmo sistema de melhoramento de cor da Technicolor.

A bateria do Idol 3 de 5,5 polegadas tem uma potência de 2910 mAh e uma autonomia de até 600 horas em modo stand by e de 13 horas em utilização contínua. Já o de 4,7 polegadas, tem uma bateria de 2 mil mAh e uma autonomia de 500 horas em stand by e de 17 horas em contínua utilização.

O Idol 3 mais pequeno é alimentado por um CPU quadcore e o maior por um CPU octacore. Os dois operam sobre o Android Lollipop 5.0, sendo que a empresa disse que poderiam existir atualizações ao SO, dependendo do sucesso do telemóvel.

No mercado livre, o Idol 3 de 4,7”, em modo Dual SIM, é vendido a um preço recomendado de 249,90 euros. O de 5,5”, no mesmo segmento de mercado, é comercializado a um P.V.P de 299,90 euros, também em Dual SIM.

A operadora NOS vende o de 5,5 polegadas, em single SIM, a um preço de 269,90 euros. O de 4,7” começará a ser vendido, em breve, pela Vodafone, também bloqueada à rede, a 199,90 euros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor