IBM trava parceria de Data Analytics com Pratt & Whitney

Business IntelligenceData-Storage

A Pratt & Whitney, fabricante norte-americana de motores para aeronaves, disse hoje que está a preparar-se para embarcar numa parceria com a IBM para que sejam compilados e analisados os dados gerados pelos seus cerca de quatro mil motores para aviões comerciais, desta forma prevendo eventuais problemas técnicos. Esta união de forças é revelada numa

A Pratt & Whitney, fabricante norte-americana de motores para aeronaves, disse hoje que está a preparar-se para embarcar numa parceria com a IBM para que sejam compilados e analisados os dados gerados pelos seus cerca de quatro mil motores para aviões comerciais, desta forma prevendo eventuais problemas técnicos.

avião

Esta união de forças é revelada numa altura em que são cada vez mais as empresas produtoras de motores aeronáuticos que centram as suas atenções em Data Analystics e vêem nesta tecnologia a potenciação da segurança dos aparelhos e a redução dos custos de manutenção.

Já em 2012, a Accenture, concorrente da IBM, tornou-se parceira da GE Aviation para desenvolver um oferta que permitisse que as companhias aéreas pudessem identificar rotas económicas em termos de combustível e reduzir o tempo de espera entre cada voo, visto que as inspeções seriam mais eficazes e, consequentemente, breves.

Uma subsidiária da United Technologies fundada em 1860, a Pratt & Whitney disse que a IBM teria em mãos a análise de aproximadamente 512 GB de informação gerada pelos motores em cada voo, visando a deteção e, principalmente, a previsão de complicações técnicas.

Jerry Kurtz, vice-presidente do segmento de Estratégia e Analytics da IBM, avançou que a tecnológica nova-iorquina vai recolher os dados de várias fontes para que possam ser delineados sistemas de diagnóstico dos motores e concebidos modelos que possam prever eventuais problemas.

Recorrendo às capacidades de análise de dados da International Business Machines, a empresa aeronáutica espera prolongar o ciclo de vida dos seus motores até aos seis anos, pois atualmente têm uma esperança média de vida de quatro a cinco anos. A Pratt & Whitney objetiva adicionalmente reduzir as despesas de manutenção até 20 por cento, de acordo com Jim Pennito, diretor de programas de serviço da empresa.

A parceria, a ser desenvolvida há cerca de ano e meio, vai permitir que a IBM escrutine os imensos volumes de dados gerados pelos motores e identificar aqueles que possam representar um risco para a segurança, para que a Pratt & Whitney, por sua vez, possa prontamente intervir.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor