IBM anuncia primeiro computador quântico universal

Inovação

A IBM anunciou que vai começar a comercializar sistemas de computação quântica universais. Os sistemas e serviços quânticos IBM Q vão ser disponibilizados através da plataforma IBM Cloud.

Além do IBM Q, a empresa lançou uma uma nova API para o IBM Quantum Experience, que permite aos programadores construir interfaces entre os atuais computadores quânticos de cinco quantum bit (qubit) baseados na cloud e os computadores clássicos, sem a necessidade de possuírem formação específica em física quântica.

O lançamento de um simulador avançado no IBM Quantum Experience foi também anunciado, sendo que pode modelar circuitos até 20 qubits. Na primeira metade de 2017, a IBM planeia lançar o SDK (Software Development Kit) para o IBM Quantum Experience, que permite aos utilizadores criarem aplicações quânticas simples e programas de software.

O IBM Quantum Experience permite que qualquer utilizador se conecte ao processador quântico da IBM através da IBM Cloud, para fazer correr algoritmos e experiências, trabalhar com quantum bits individuais, pesquisar tutoriais e explorar simulações em torno do que já é possível fazer com a computação quântica.

A IBM pretende, assim, criar e disponibilizar sistemas IBM Q para alargar o âmbito das aplicações práticas da computação quântica. Estes sistemas estão a ser desenhados para endereçar problemas em que não podem ser identificados padrões ou em que número de possibilidades de análise necessárias para chegar a uma resposta é tão grande que um computador atual não consegue processá-las.  A área da química é uma das mais promissoras. 

As futuras aplicações para computação quântica podem incluir: 

·        Medicamentos: Resolver a complexidade das moléculas e das interações químicas que poderão levar à descoberta de novos compostos e medicamentos; 
·        Cadeias de distribuição & logística: Encontrar as melhores trajetórias entre os inúmeros sistemas de logística e cadeias de distribuição globais, já de si ultra-eficientes, designadamente a otimização da gestão de frotas para entregas durante a época natalícia; 
·        Serviços financeiros: Encontrar novas formas de análise de dados financeiros e de fatores de risco para um melhor investimento; 
·        Inteligência artificial: Tornar as capacidades da inteligência artificial, como o machine learning, ainda mais poderosas quando estamos frente a grandes volumes de dados, como a procura de imagens ou vídeos; 
·        Segurança cloud: Tornar a cloud ainda mais segura ao utilizar as leis da física quântica para melhorar a segurança privada dos dados. 

Tom Rosamilia, Senior Vice President IBM Systems, referiu que “os atuais computadores são já extraordinariamente poderosos e vão continuar a melhorar e a apoiar tudo o que fazemos nos negócios e na sociedade. Mas há muitos problemas que nunca serão endereçados por um computador clássico. Para gerar conhecimento de tão grande profundidade e complexidade, precisamos de um computador quântico”.

“É nosso objetivo que os sistemas IBM Q trabalhem em articulação com o nosso portefólio de sistemas de alta performance para resolver problemas para os quais ainda não temos solução”, acrescentou o executivo. 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor