Here da Nokia recebe licitação da Uber

Negócios

A Uber demonstrou que está disposta a desembolsar três mil milhões de dólares pela divisão de mapas da Nokia. Com a sua própria unidade de mapeamento, o serviço digital de transportes poderá reduzir, senão mesmo eliminar, a sua dependência face ao Google Maps. Há cerca de um mês, a tecnológica finlandesa Nokia revelou que estaria

A Uber demonstrou que está disposta a desembolsar três mil milhões de dólares pela divisão de mapas da Nokia. Com a sua própria unidade de mapeamento, o serviço digital de transportes poderá reduzir, senão mesmo eliminar, a sua dependência face ao Google Maps.

uber

Há cerca de um mês, a tecnológica finlandesa Nokia revelou que estaria a analisar a sua unidade de mapeamento digital HERE, sugerindo que uma venda poderia estar no horizonte. Desde então, foram já algumas as fabricantes automobilísticas que deixaram claro que o negócio da Nokia é um ativo valioso, especialmente numa altura em que a indústria cada vez aposta nos chamados “carros conectados”, cujo funcionamento depende fortemente de serviços de geolocalização e de navegação.

Diz o New York Times, citando fontes anónimas próximas do assunto, que a proposta da Uber rivaliza com uma que está a ser desenvolvida por uma coligação de automobilísticas alemãs, entre as quais estão a Audi, a BMW e a Mercedes-Benz.

Consta que estas fabricantes formaram uma aliança com o Baidu, considerado o “Google da China”, para suportar a proposta sobre a Here.

Citado pela Reuters, Risto Siilasmaa, presidente da Nokia, afirmou que a empresa não está entre a espada e a parede, e não sente qualquer necessidade premente para abrir mão da unidade de mapas digitais. O executivo afirmou que a análise da Here não tem incontornavelmente que desembocar numa venda, podendo a Nokia optar por conservar sob a sua jurisdição a divisão.

Contactada pela B!T, a Uber absteve-se de qualquer comentário acerca da licitação sobre o negócio da Nokia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor