Heartbleed é a mais recente calamidade informática

Software

BlackBerry planeia lançar patches em resposta ao recentemente descoberto Heartbleed, numa tentativa de mitigar as vulnerabilidades instigadas pelo bug, que recolhe, ilegalmente, informação de softwares que operem em OpenSSL. À luz da mais recente ameaça cibernética, Heartbleed, a tecnológica BlackBerry disse que está a desenvolver medidas de segurança acrescida para colmatarem os riscos associados a

BlackBerry planeia lançar patches em resposta ao recentemente descoberto Heartbleed, numa tentativa de mitigar as vulnerabilidades instigadas pelo bug, que recolhe, ilegalmente, informação de softwares que operem em OpenSSL.

heartbleed

À luz da mais recente ameaça cibernética, Heartbleed, a tecnológica BlackBerry disse que está a desenvolver medidas de segurança acrescida para colmatarem os riscos associados a programas que tenham sido desenvolvidos em OpenSSL, um software que visa proteger os dados dos utilizadores, mas que, ao invés, tornou-se o alvo predileto e a porta de entrada para cibercriminosos, e permite a recolha de enormes quantidades de informação sem deixar um único rasto.

Relativamente ao bug, descoberto na semana passada, os especialistas em segurança cibernética haviam inicialmente dito que era imperativo que as empresas focassem os seus esforços nos websites vulneráveis. Contudo, têm desde então acautelado para os riscos inerentes à tecnologia utilizada em data centers e em dispositivos móveis que operem em Android da Google ou em iOS da Apple.

Ontem, à Reuters, o vice-presidente sénior da BlackBerry, Scott Totzke, disse que os produtos da empresa não fazem uso dos softwares vulneráveis. No entanto, a empresa disse que tem que atualizar dois dos seus amplamente utilizados produtos: o e-mail corporativo Secure Work Space e o serviço de mensagens da BlackBerry para Android e iOS.

Ainda assim, Totzke disse que mesmo nesses dois produtos o risco de infeção era consideravelmente reduzido, tendo em conta que a tecnologia de segurança da BlackBerry dificultaria a extração ilegal de informação.

Os experts em cibersegurança disseram que são muitas as aplicações que operam em OpenSSL, pelo que deverão ser também muitas as apps infetadas pelo bug.

Michael Shaulov, diretor executivo da Lacoon Mobile Security, disse que os criadores de aplicações vai ainda a tempo de corrigir os programas vulneráveis, pois demorará algum tempo até que os hackers consigam, de facto, atacar dispositivos móveis.

As tecnológicas e o governo norte-americanos já se demonstraram deveras empenhados em dizimar esta ameaça, e, na passada sexta-feira, oficiais federais aconselharam a que entidades bancárias e outros negócios redobrassem a sua atenção sobre os seus sistemas informáticos.

Foram várias as empresas da esfera tecnológica que apontaram o facto de os seus clientes estarem em xeque, e aconselharam-nos a aplicarem medidas extraordinárias para salvaguardarem a integridade dos seus sistemas.

Algumas atualizações de segurança foram já disponibilizadas. Contudo, outras, como as da BlackBerry, estão ainda em fase de desenvolvimento.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor