As grandes tendências das TI para 2015

CloudData-Storage

Quer o Gartner quer a IDC estão de acordo em uma coisa: o mercado das TIC em 2015 vai valer cerca de 3,8 milhões de milhões de dólares, com a computação móvel, nuvem, redes sociais, Big Data e Analytics a serem os grandes protagonistas da sequela deste ano. Todos os anos, as grandes consultoras vão lançando

Quer o Gartner quer a IDC estão de acordo em uma coisa: o mercado das TIC em 2015 vai valer cerca de 3,8 milhões de milhões de dólares, com a computação móvel, nuvem, redes sociais, Big Data e Analytics a serem os grandes protagonistas da sequela deste ano.

tech

Todos os anos, as grandes consultoras vão lançando para o mercado aquelas que consideram ser as grandes tendências que vão dominar o mundo das Tecnologia de Informação. Dois clássicos nestas tendências são a IDC e o Gartner cujas projeções normalmente não têm grandes divergências. Vamos dar uma olhadela pelas este ano. Diz a IDC, nas suas dez principais previsões para a área de Tecnologia da informação e Telecomunicações (TIC) em todo o mundo, que a Terceira Plataforma – construída sobre os pilares da computação móvel, dos serviços em nuvem, das redes sociais, do Big Data e Analytics – será responsável por um terço das despesas globais deste setor. A consultora assume que este ano será uma etapa de inovação para esta Terceira Plataforma onde efetivamente haverá a criação de valor.

Para a consultora, os gastos globais com TIC vão registar crescimento durante 2015, movimentando mais de 3,8 milhões de milhões de dólares, sendo que destes um terço será então para a Terceira Plataforma. Os gastos com TIC nos mercados emergentes deverá crescer 7,1% na variação anual (2014/2015), enquanto mercados maduros deverão registar crescimentos de apenas 1,4%.

Outra tendência apontada pela consultora IDC é que entre os gastos com serviços de telecomunicações, os serviços de comunicação de dados sem fio será o segmento de mais rápido crescimento (13%),  responsável por 536 mil milhões de dólares.

O Gartner aponta precisamente o mesmo valor em gastos em TI: 3,8 milhões de milhões em 2015, embora admita que estes valores ficam aquém do que se esperava. No entanto, para o Gartner, 2015 deverá ser um bom ano para as Tecnologias da Informação. A empresa que analisa a indústria das TI admite que este reduzido aumento – pelo menos comparativamente às previsões – se deve ao abrandamento da taxa de crescimento de mercados como o dos smartphones e dos serviços de TI e de telecomunicações. Além do mais, o aumento do dólar face ao euro tem levado à diminuição dos investimentos em TI.

Ao nível da unidade monetária norte-americana, os mercados de dispositivos como telemóveis, computadores pessoais, tablets e impressoras deverão, em 2015, registar uma queda de 1,3 por cento em seu crescimento.

No que concerne aos centros de dados, para o Gartner o panorama já é outro. Espera-se que em 2015 os gastos em sistemas de armazenamento e servidores cheguem aos 143 mil milhões de dólares, o que se traduz num aumento de 1,8 por cento comparativamente ao ano anterior.

O braço empresarial do mercado de software também beneficiará de um crescimento. O Gartner estima que esse setor chegue aos 335 mil milhões de dólares em 2015, um aumento de 5,5 por cento.

Serviços de TI sofrem queda, diz Gartner

Apesar de no comboio do crescimento estarem sentados vários ramos da indústria tecnológica, outros não deverão conseguir apanhá-lo a tempo. O Gartner estima que os serviços de TI sofram uma queda de 2,5 por cento, sendo que no Brasil e na Rússia esse declínio seja ligeiramente mais acentuado, devido a debilidade económica.

As Telecomunicações esse ano vão crescer 0,7 por cento, segundo as previsões desta consultora, alcançando receitas no valor de 1,6 milhões de milhões de dólares.

Os dispositivos móveis e os aplicativos vão continuar a crescer durante 2015. No entanto, não ao ritmo frenético registado nos últimos anos, diz a IDC. As vendas de smartphones e tablets atingirão 484 mil milhões de dólares, respondendo por 40% de todo o crescimento dos gastos com TI (excluindo os serviços de telecomunicações), com os fornecedores chineses a capturarem uma parcela significativa do mercado mundial.  Os dispositivos vestíveis, os “wearables”, terão uma explosão de inovação, embora as vendas por unidade se mantenham pouco significativas. Pelo menos esta é a estimativa da consultora. Já os downloads de aplicativos móveis vão começar a desacelerar em 2015, embora  o desenvolvimento empresarial de aplicativos móveis deva dobrar.

 Cloud aumenta

Os gastos com serviços em nuvem, famosa cloud, vão manter o seu protagonismo, respondendo por 118 mil milhões de dólares. A adoção de Infraestrutura como Serviço (IaaS) crescerá rapidamente (36%), com a líder Amazon a sofrer ataques de todos os lados.

A acompanhar a Cloud, vêm os inseparáveis Big Data e Analytics, também com um crescimento muito interessante em 2015, envolvendo software, hardware e serviços, respondendo por um mercado de 125 mil milhões de dólares. Soluções de Analytics rich-media (vídeo, áudio e imagem) vão emergir como importantes impulsionadoras de projetos de Big Data. E as cadeias de fornecimento de soluções de Dados como Serviço crescerão em importância, com fornecedores de plataformas de análise na nuvem oferecendo aos clientes informações de valor agregado a partir de conjuntos de dados comerciais e/ou abertos. A IDC também espera ver novas e importantes ofertas nas áreas de computação cognitiva, aprendizado de máquina e soluções de análise para Internet das Coisas (IoT).

Aliás, Internet das Coisas vai ser um dos aceleradores de inovação mais importantes para o crescimento e a expansão de valor baseados na Terceira Plataforma de TI, diz a IDC. A proliferação de “coisas” inteligentes e conectadas irá conduzir ao desenvolvimento de milhares de novas soluções.

Já os Data centers vão passar por uma transformação fundamental na era da Terceira Plataforma, com as capacidades de computação e armazenamento a caminharem para a nuvem. Essa mudança vai desencadear uma explosão de inovações de hardware “cloud-first” e uma maior consolidação entre os fornecedores de servidores, armazenamento, software e redes. A IDC espera ver duas ou três grandes fusões, aquisições ou reestruturações entre fornecedores de alto nível em 2015.

 Terceira Plafatorma mais forte

E lá está, a Terceira Plataforma, para a IDC, está a transformar não apenas a indústria de tecnologia, mas todos os setores da economia. A consultora acredita que um número considerável de negócios disruptivos surgirá em 2015, graças à evolução Terceira Plataforma. Os exemplos incluem redes alternativas de pagamento, entre os serviços financeiros, a expansão das tecnologias da Internet das Coisas para segurança e obras públicas e sistemas de transporte, e a expansão dos serviços baseados em localização no setor de varejo. As plataformas digitais irão expandir-se rapidamente, podendo facilmente dobrar em 2015.

Além da Internet das Coisas, sistemas de aprendizado de máquina e de computação cognitiva serão outros dois aceleradores de inovação que se tornarão drivers de crescimento importantes em 2015. Soluções de segurança vão ajudar a garantir a borda (segurança biométrica em dispositivos móveis, por exemplo) e o núcleo da nuvem  (criptografia  como prática padrão). A inteligência de ameaças emergirá como uma categoria essencial de Dados como Serviço (DaaS), fornecendo informações sobre ameaças específicas para as empresas. E a impressão 3D crescerá expandindo o mercado das empresas de impressão de documentos convencionais, estabelecendo as bases para uma batalha iminente por clientes comerciais e industriais em 2016.

Por último, a China será mais influente no mercado global de TIC em 2015,  com gastos que serão responsáveis por 43% de todo o crescimento da indústria, um terço de todas as compras de smartphones, e cerca de um terço de todas as compras online.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor