Governo russo espia empresas europeias e norte-americanas

Segurança

Um relatório da empresa de segurança eletrónica CrowdStrike acusa o governo russo de lançar ciberataques para espiar empresas de energia e tecnologias da Europa e dos Estados Unidos, mas também da Ásia. O objetivo destes ataques por parte do governo russo às empresas ocidentais e asiáticas, mais do que propósitos políticos, foi a recolha de

Um relatório da empresa de segurança eletrónica CrowdStrike acusa o governo russo de lançar ciberataques para espiar empresas de energia e tecnologias da Europa e dos Estados Unidos, mas também da Ásia.

41d4852254c67abcbae7O objetivo destes ataques por parte do governo russo às empresas ocidentais e asiáticas, mais do que propósitos políticos, foi a recolha de informações úteis do ponto de vista económico.

O diretor de tecnologias da CrowdStrike, Dmitri Alperovitch, diz que “estes ataques parecem ter sido motivados pelo interesse do governo russo em manter a competitividade em áreas essenciais para áreas estratégicas de importância nacional”.

De acordo com o relatório elaborado pela CrowdStrike, esta é a primeira vez que são recolhidas provas que incriminam o governo da Rússia relativamente a ciberataques contra empresas estrangeiras.

Centenas de empresas de tecnologia e distribuição de eletricidade europeias, norte-americanas e asiáticas foram afetadas por estes ataques. A CrowdStrike revelou estas informações após analisar as atividades de um grupo de hackers conhecido por “Urso Energético”.

Os especialistas da empresa de segurança eletrónica concluíram, depois de dois anos de análise das ações levadas a cabo na web, que os hackers estarão a trabalhar de forma concertada com o governo russo.

O governo da Rússia ainda não comentou este relatório da CrowdStrike.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor