Governo reivindica mais canais de TDT em Portugal

EmpresasNegócios

O Governo considera que o número de canais de TDT em Portugal não é suficiente. Poiares Maduro, Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, reitera que uma oferta em sinal aberto de apenas quatro canais é inaceitável. O ministro dá exemplos de outros países onde o número é mais do dobro do verificado em Portugal e

O Governo considera que o número de canais de TDT em Portugal não é suficiente. Poiares Maduro, Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, reitera que uma oferta em sinal aberto de apenas quatro canais é inaceitável.

Satelite DishesO ministro dá exemplos de outros países onde o número é mais do dobro do verificado em Portugal e refere que o alargamento da oferta de TDT será feito na medida do possível, envolvendo todos os atores do setor e sem colocar em causa a sustentabilidade dos operadores existentes.

Não adiantando datas para esta mudança, Poiares Maduro lembrou que, no início de 2014, deverá haver novidades em relação à TDT. O ministro sublinha ainda que a existência de uma maior oferta tem vantagens para os portugueses que veem o cabo.

Dois canais privados do país estimam que, se o projeto avançar, o Estado ocupe 60 por cento da capacidade disponível para a TDT, valor que aumenta para os 70 por cento se também se tiver em conta o Canal do Parlamento.

“Não há qualquer tentativa de estatização do espaço televiso por via TDT”, garante o Ministro Adjunto, relembrando que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social e a Anacom estão envolvidas na questão pública da TDT.

“Não é a mim que me compete tomar decisões finais sobre a quem deve ter ou não canais em sinal aberto, mas eu não deixarei de assumir as minhas responsabilidades enquanto ministro da tutela no sentido de corrigir um problema que existe no nosso mercado”, acrescenta Poiares Maduro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor