Google vende Motorola à Lenovo

MobilidadeNegóciosSO

Num movimento inesperado, a chinesa Lenovo anunciou a compra da Motorola Mobility por 2,91 mil milhões de dólares. Do montante, cerca de 750 milhões de dólares serão pagos em ações. Comprada em 2011 pela Google, por 12,5 mil milhões de dólares, a Motorola enfrentou anos difíceis. Mesmo com a venda do negócio de set-top boxes

Num movimento inesperado, a chinesa Lenovo anunciou a compra da Motorola Mobility por 2,91 mil milhões de dólares. Do montante, cerca de 750 milhões de dólares serão pagos em ações.

Moto XComprada em 2011 pela Google, por 12,5 mil milhões de dólares, a Motorola enfrentou anos difíceis. Mesmo com a venda do negócio de set-top boxes para a Arris, por 2,4 mil milhões, a Google não conseguiu a rentabilidade esperada.

Vale lembrar que o Moto X e o Moto G, lançados no ano passado, foram aparelhos de excecional custo-benefício, com grande aceitação pelo consumidor. Porém, a lucratividade da Motorola, juntamente com a inexperiência da Google no negócio de hardware de larga escala, abriu as portas para uma possível venda.

O que a Google queria ao comprar a Motorola era proteger-se de uma eventual guerra de patentes. Com um extenso portfólio, a Motorola serviu como escudo contra os concorrentes. Foram essas patentes que foram compartilhadas pela Google com a Samsung, que já perdeu cerca de um milhão em litígios com a Apple.

O que a Lenovo comprou foi a operação da Motorola, mas quase a totalidade das patentes ficou com o Google. E o que a Lenovo ganha com isso? Simples, acesso a uma infraestrutura fabril de primeira e acordos já estabelecidos com as maiores operadoras do ocidente.

A Lenovo já é muito grande no negócio de dispositivos móveis na Ásia. Como já anunciou que manterá a marca Motorola nos mercados em que ela é relevante, a chinesa usará todo o know-how da americana para entrar com tudo na Europa e Américas.

Quando comprou a operação de computadores pessoais da IBM, a Lenovo não só manteve o elevado padrão de qualidade da Big Blue como diversificou a linha e fez seu nome fora da China. É natural que ela siga o mesmo caminho com a Motorola, inclusive aproveitando os funcionários e a cultura da companhia.

Deste modo, tanto Lenovo como Google fizeram um bom negócio. A Google blindou seu Android, ganhou patentes importantes que servem como moeda de troca para parcerias de hardware. E o mais importante: livrou-se de uma operação de hardware que foge do seu core business. E a Lenovo conseguiu uma ferramenta que vai acelerar muito a entrada no mercado de smartphones do ocidente.

Agora, a Samsung tem um motivo real de preocupação, pois a Lenovo sabe como conquistar mercado. Seus PCs hoje são os mais vendidos no mundo, e com uma marca forte como a Motorola, que tem um design industrial particular e de qualidade, a Lenovo tem tudo para morder uma fatia considerável do negócio de dispositivos móveis da coreana.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor