Google não sabia da ciberespionagem da NSA

Segurança

O presidente da Google, Eric Schmidt, garante que a empresa não tinha conhecimento sobre as escutas efetuadas pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos. O executivo mostra-se determinado em mostrar que a multinacional não teve nada a ver com as ações de ciberespionagem da NSA e da GCHQ, serviços secretos britânicos, que desviaram dados

O presidente da Google, Eric Schmidt, garante que a empresa não tinha conhecimento sobre as escutas efetuadas pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos.

echelonO executivo mostra-se determinado em mostrar que a multinacional não teve nada a ver com as ações de ciberespionagem da NSA e da GCHQ, serviços secretos britânicos, que desviaram dados pessoais de milhões de utilizadores.

Depois das revelações feitas pelo ex-operacional da CIA, Edward Snowden, em junho do ano passado, os servidores da Google passaram a encriptar o tráfego.

Eric Schmidt admite que estaria numa posição privilegiada para saber das intrusões levadas a cabo pelos serviços de inteligência norte-americanos e britânicos, mas garante que nada poderia fazer de modo a evitar as intrusões. “Caso tivéssemos reunido e recebido informação, provavelmente não teríamos possibilidade de atuar, uma vez que passaríamos a ter conhecimento do caso. Declinei participar em briefings sobre este assunto para não me sentir constrangido”, garante Eric Schmidt.

O responsável compreende os motivos que levaram o ex-operacional da CIA a divulgar os dados sobre as operações de ciberespionagem das agências de segurança dos Estados Unidos, mas não considera que este deva ser perdoado.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor