Google financia investigação para melhorar segurança do Drive

CloudData-StorageSegurança
1 0 Sem Comentários

A Google vai dedicar um milhão de dólares, ou cerca de 900 mil euros, a projetos de investigação que melhorem a segurança da plataforma Drive. A empresa tem um programa de bolsas de investigação na área de segurança e também premeia com 20 mil dólares (18,4 mil euros) quem descobrir um problema importante nos seus produtos.

“Manter os ficheiros seguros no Google Drive é super importante”, escreveu o gestor de produto Kevin Nelson no blogue dedicado à plataforma. A empresa, diz, utiliza centros de dados seguros e feitos à medida para armazenar fotos, vídeos e outros documentos. “Mas não são apenas barreiras, câmaras e lasers que mantêm as coisas seguras – são as pessoas.”

O programa de bolsas permite que investigadores independentes contribuam para a segurança dos dados na Google, e parece que tem tido bons resultados. “Estamos gratos pelos seus esforços para manter seguro o Google Drive, por isso no próximo ano vamos dedicar 1 milhão ao financiamento de ainda mais bolsas para investigação de segurança independente”, anunciou o gestor.

Em setembro, a Google anunciou que o Drive tem um milhão de clientes (empresas) que pagam pelo serviço. É um número aparentemente mais baixo que o de clientes das aplicações profissionais, Google for Work, que rondará os cinco milhões (mas os dados não são atualizados há algum tempo).

O facto é que as questões de segurança estão na ordem do dia depois de múltiplos incidentes de falhas e quebras de privacidade em todo o tipo de empresas – desde as fotos pessoais de celebridades retiradas de contas iCloud à exposição de milhares de utilizadores do site de infidelidade Ashley Madison. “Nesta época festiva, muitos de vocês vão comprar ou oferecer novos computadores, telefones e tablets, e possivelmente terão de transferir ficheiros de aparelhos antigos para os novos. O Google Drive para Mac, PC, Android e iOS pode ajudar-vos a fazer isso facilmente e a mantê-los seguros daqui para a frente”, concluiu Nelson.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor