Google está a testar drones para acesso à internet em 5G

InovaçãoInvestigaçãoMobilidade

A Google está a testar drones autónomos e alimentados a energia solar capazes de fornecer acesso à internet 5G. O projeto tem o nome de código Skybender.

Os testes estão a decorrer no estado norte-americano do Novo México, no Spaceport America. De acordo com o jornal britânico The Guardian, que obteve documentos relativos aos projeto, os protótipos foram construídos no verão passado. A Google está a ocupar 1400 metros quadrados no terminal Gateway to Space, que foi desenhado por Richard Foster para as viagens espaciais da Virgin Galactic, e tem uma torre de controlo de operações. A empresa está a pagar uma “renda” de mil dólares por dia pelo uso do hangar.

Entre os protótipos testados encontram-se drones autónomos, drones que podem ser pilotados e drones com painéis solares. A visão da Google passa por colocar no ar milhares de drones autónomos com a capacidade de fornecer acesso que pode ser até 40 vezes mais poderoso que as redes 4G LTE – os testes consistem em transmissões de rádio em ondas milimétricas, que é uma das tecnologias em experiência para o 5G. O problema é que estas transmissões têm um alcance mais curto que o sinal de tecnologia móvel, o que coloca um obstáculo técnico ao que a empresa quer fazer.

No caso dos drones alimentados a energia solar, entra em cena a Google Titan, uma divisão que surgiu da compra da Titan Aerospace, há dois anos. Estes drones conseguem sobrevoar a uma altitude de 50 metros.

Em 2014, a Darpa (o braço de investigação do exército norte-americano) lançou o programa Mobile Hotspots, precisamente para a criação de uma frota de drones capazes de fornecer internet às tropas baseadas em áreas geográficas remotas.

Agora, a Google tem licença do regulador das comunicações (FCC) para fazer os testes naquele local até julho.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor