Google aposta na melhoria de pesquisas sobre saúde

EmpresasNegócios

Os já conhecidos gráficos do conhecimento do Google vão ser utilizados para mostrar resultados sobre pesquisas relacionadas com o tema da saúde. A pesquisa inteligente dá um passo em frente numa questão que leva muitos utilizadores ao motor de busca. Uma em cada 20 pesquisas realizadas no motor de busca da Google está relacionada com

Os já conhecidos gráficos do conhecimento do Google vão ser utilizados para mostrar resultados sobre pesquisas relacionadas com o tema da saúde. A pesquisa inteligente dá um passo em frente numa questão que leva muitos utilizadores ao motor de busca.

Support

Uma em cada 20 pesquisas realizadas no motor de busca da Google está relacionada com saúde tornando este tema um dos mais procurados e um dos que mais preocupa os utilizadores. Para tornar a pesquisa mais precisa e com resultados de maior qualidade, os gráficos do conhecimento chegam à saúde.

Desde 2012 que muitos dos resultados apresentados por este motor de busca surgem com um diagrama no canto superior direito que apresenta as informações mais relevantes sobre o assunto. Esta funcionalidade tem o nome de Knowledge Graph, ou Gráfico do Conhecimento, e, nos próximos dias, estará também disponível em pesquisas de tópicos sobre saúde ou doenças.

Neste gráfico deverão aparecer informações sobre a definição da doença, quais os seus sintomas e tratamentos, nível de contágio e qual a frequência com que é diagnosticada. Este tipo de dados já podiam ser encontrados, antes, no motor de busca mas entre os milhares de resultados nem todos são fidedignos e é para combater esse problema que o Google reuniu o conhecimento de especialistas.

Numa publicação no seu blog, é explicado que a Google trabalhou com “uma equipa de médicos para compilar toda a informação oferecida” e revê-la já que “encontrar a informação sobre saúde” que o utilizador “precisa rápida e facilmente” deveria ser algo garantido.

Apesar de os resultados tornarem-se, assim, mais confiáveis, a empresa alerta para o facto de a pesquisa não substituir o aconselhamento médico presencial, uma vez que o surgimento de cada doença poderá variar de caso para caso. No entanto, a Google espera que esta funcionalidade dê poder ao utilizador e que este se sinta mais informado.

Por agora, a ferramenta será disponibilizada apenas nos EUA mas o objetivo é alargar o seu alcance a mais países e idiomas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor