Gmail sofre quebra na China

Segurança

O Gmail foi bloqueado na China, depois do serviço de correio eletrónico ter sido alvo de múltiplas disrupções ao longo dos últimos meses num Estado em que a liberdade é amordaçada pela censura. Na passada sexta-feira, vários endereços do serviço de correio eletrónico Gmail, da Google, foram suspensos na República Popular da China, de acordo

O Gmail foi bloqueado na China, depois do serviço de correio eletrónico ter sido alvo de múltiplas disrupções ao longo dos últimos meses num Estado em que a liberdade é amordaçada pela censura.

gmail

Na passada sexta-feira, vários endereços do serviço de correio eletrónico Gmail, da Google, foram suspensos na República Popular da China, de acordo com o GreatFire.org, um grupo defensor dos direitos e liberdades dos cidadãos digitais. Segundo consta, o serviço continua inoperacional.

Um membro não identificado da organização GreatFire.org disse que a suspensão do acesso ao Gmail é parte dos esforços de Pequim para minimizar a presença da Google no país.

Um porta-voz da gigante tecnológica assegurou que o problema não advém da Google, pelo que – embora não tenha ainda sido anunciado oficialmente – a responsabilidade da quebra do serviço recai sobre a China.

Desde junho de este ano que os vários serviços da Google têm sofrido disrupções na potência oriental. A China cerra um punho de ferro em torno da Internet, abafando quaisquer evidências de insurgência contra o governo do Partido Comunista.

A China está na posse do mais avançado e austero mecanismo de controlo da Internet, conhecido como a Grande Firewall da China. Criticado severamente pelos defensores da liberdade dos utilizadores da Grande Rede, o mecanismo de censura visa isolar virtualmente o país do restante mundo.

Uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Hua Chunying, afirmou que o governo chinês não tinha conhecimento do sucedido e que estava decidido a providenciar as melhores condições de negócio a investidores estrangeiros – o que poderá não verificar-se, tendo em conta que são várias as empresas que recorrem ao Gmail como meio de comunicação.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor